Objetivo

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Pronto, falei!



Não, eu não sou gostosa. Não peso 50 quilos, não tenho longos cabelos lisos, não tenho barriga sarada e nem coxas definidas. Não sou o sonho de consumo dos homens, não sou de parar o trânsito, não chamo a atenção quando ando pela rua. Sou gorda, muito gorda para os padrões da sociedade. As pessoas se assustam quando me vêem, principalmente as que tiveram a oportunidade de me conhecer assim:




Sim, eu já fui magra. Sim, eu já pesei 60 kg. Sim, eu já fui desejada e adorada pela minha "beleza" (hoje em dia magreza é sinônimo de beleza, infelizmente). Sim, já fui sonho de consumo de alguns homens. Sim, já fui considerada "gostosa". Sim, já tive a oportunidade de chamar a atenção em alguns lugares que fui. Mas nada dessa "magreza" foi presente da natureza, não. Sofri muito para conseguir esse corpo. Fiz inúmeras dietas, me privei de diversas comidas que gostava, suei a camisa fazendo milhares de exercícios que simplesmente detesto e sempre detestei, chorei sozinha várias noites depois de encontros trágicos com a balança (nos quais havia engordado), fui obrigada a ir a diversas reuniões de encorajamento para não abandonar todo o plano alimentar e sucumbir à tentação de me acabar em doces e porcarias gordurosas e engordativas, já sofri tendo que sair com amigos e vê-los se acabando em comida enquanto eu pedia uma salada para não estragar a dieta, aguentei muita humilhação e muita gente torcendo para tudo dar errado e eu voltar a ser gorda novamente.
O que mudou de lá pra cá? Eu voltei a ser gorda. Acontece que nesta época não me considerava magra, não conseguia enxergar o tal corpo saudável que todo mundo falava. Cada quilo que emagrecia eu me via mais gorda, não conseguia encontrar a tal alegria e a tal paz que acreditava que teria quando a balança atingisse os tão sonhados 60 kg. recomendados pelo médico, pelas orientadoras do meu programa de emagrecimento e pelas calculadoras de peso ideal. Eu vivia perturbada com a ideia de engordar, vivia contando calorias desesperadamente, vivia sonhando com o dia em que a felicidade chegaria magicamente após os quilos perdidos. Mas este dia jamais chegou. E sabe por que? Muito simples: corpo magro e felicidade não são sinônimos!
Hoje eu sou julgada pelos meus quilos, que são 30 a mais do que as fotos mostradas, mas a verdade é que sou exatamente a mesma pessoa, a única coisa que mudou foi o tamanho das minhas roupas! Sim, eu continuo sendo mulher, eu continuo tendo sentimentos, sonhos, desejos, frustrações, tristezas, projetos, dias bons e dias ruins também. As pessoas têm uma mania chata de levar em consideração somente a aparência e achar que somente as pessoas magras e bonitas têm o direito de ser feliz, e olhando gordos e outras pessoas fora dos padrões estabelecidos pela sociedade como pessoas inferiores, preguiçosas e não merecedoras das boas coisas da vida.
Sou a favor sim de que as pessoas busquem qualidade de vida, um corpo mais saudável e um equilíbrio para suas vidas, mas sou contra a ideia de que a magreza é a única forma aceitável de ser. Porque, por mais que muitas pessoas não acreditem, sim, gordos são seres humanos normais, que buscam as mesmas coisas que os magros. E eu acredito que o que as pessoas têm na cabeça é muito mais importante do que os dígitos que aparecem quando sobem na balança.
Eu passei a minha vida inteira me preocupando com a opinião dos outros a meu respeito. Nunca olhei para mim com os meus próprios olhos, mas com os olhos dos outros. E os olhos dos outros são sempre mais exigentes e mais cruéis, porque analisam a situação de um ponto de vista imparcial, sem levar em consideração os demais fatores envolvidos na história. De hoje em diante eu decidi que vou me preocupar apenas com a minha opinião, parar de me sentir inferior aos outros por qualquer motivo que seja e buscar a minha felicidade, que não tem nada a ver com o meu peso, mas com a minha forma de me enxergar e de enxergar a minha vida.

Não estou desistindo da RA, muito pelo contrário, estou buscando forças para retomá-la, afinal a gordura está me fazendo mal, está me deixando muito cansada e estou tendo dificuldades de comprar roupas, mas o que eu quero é desvincular a minha felicidade do peso que aparece na balança.

**********


Meninas, boa noite!

Quanta saudade!!!! E quantas coisas acontecendo... fui demitida do trabalho dia 05.06 e desde então minha vida está virada de cabeça para baixo... tive que deixar meus planos de montar uma casa para morar com meu filho temporariamente de lado, afinal a situação está feia pro meu lado, e desde então estou procurando emprego e tentando colocar a vida nos eixos.
Desculpem o sumiço (não aguento mais escrever isso, porque nunca cumpro as promessas de volta rsrsrsrsrs), mas não esqueço de vocês. Peço desculpas às pessoas que comentaram na minha última postagem e eu não dei retorno, não é falta de consideração e nem descaso, é realmente falta de tempo e muitos problemas. Mas me esperem que eu estou chegando!!!!! rs

2 comentários:

Cคмเlค disse...

saudades de vc .. vorta só

AMANDO SER QUEM SOU disse...

Bem vinda amiga!!!! Que saudades!!!!! saudades desses textos cheios de verdades e sentimentos!!!!!!
Vai achar outro emprego logo e vai realizar tudo que sonha!!!!
Bjocas