Objetivo

domingo, 3 de julho de 2011

Eu quero voltar, mas não consigo!




Boa tarde a todas!

Muita saudade, muita saudade mesmo, não tenho nem palavras para descrever! Vocês são especiais demais para mim, sempre estiveram presentes na minha vida em todos os meus momentos, me deram conselhos, me ajudaram, me acolheram, me deram broncas, choraram e riram junto comigo, respeitaram meus silêncios e minhas ausências e sempre comemoraram meus retornos, sem jamais me julgar ou me questionar. Vocês fazem parte da minha vida, mesmo tão longe!
A questão central é que estou trabalhando muito, e não tenho mais tempo de nada. Internet em dias de semana é praticamente impossível, e até nos finais de semana é raro, pois quando estou em casa só tenho vontade de estar com minha família e descansar! rs
Estou engordando cada dia um pouco mais e não consigo me controlar. Para ser bem franca, estou ficando em estado de desespero completo, pois estou naquela fase em que o peso está me atrapalhando nas minhas atividades diárias, como subir uma simples escada do metrô ou a rampa de acesso ao meu local de trabalho. Tenho me sentido muito cansada e com dores na coluna e nas pernas. Estão saindo umas bolinhas nas minhas pálpebras que dizem que são de colesterol alto, e eu nem tenho coragem de fazer um exame de sangue, para não ver a realidade que está estampada na minha cara. Durante esse tempo longe do blog, pensei várias vezes em desistir da luta contra a balança e me deixar engordar o quanto o corpo quiser, mas ao mesmo tempo sei que não é isso que eu quero para mim. Mas para ser bem franca, nestes últimos vezes não tenho feito nada de efetivo por mim, não tenho cuidado do meu corpo e muito menos da minha alimentação. Água eu já nem sei direito o que é, porque não bebo nem meio litro por dia. Estou um relaxo completo, e não sei mais o que faço para reverter essa situação. Comer é meu maior vício e minha maior paixão atualmente, infelizmente. Não posso fugir disso e nem negar o meu problema.
Nesse meio tempo, li o livro que ganhei no amigo secreto da Augusta e simplesmente adorei! Mulheres, Comida & Deus fala da relação que estabelecemos com a comida como forma de fuga dos nossos problemas, e eu concordei com cada palavrinha que li ali. Só falta agora aplicar à minha vida! Aliás, preciso agradecer a Alcilene que me deu este maravilhoso e criativo presente! Obrigada mesmo!
Minha vida está uma loucura total e absoluta! Muito trabalho, muita correria, muito cansaço e um período de adaptação bem difícil. Além da falta das pessoas que deixei para trás neste meu novo caminho, eu vivo uma situação profissional totalmente diferente de tudo o que já vivi antes na minha vida.
Quanto à minha vida pessoal, nada mudou. Continuo cuidando do meu filho, saindo com os amigos e tentando manter meu equilíbrio. Meu maior objetivo continua sendo encontrar um caminho bom para mim, paz no meu coração e felicidade. E eu sei que vou conseguir!

Beijos a todas vocês e não as tiro do meu pensamento nunca, não se esqueçam disso!

domingo, 29 de maio de 2011

SAUDADE

Boa noite, minhas lindas!

Não tenho nem palavras para expressar a minha saudade, a falta que esse blog e vocês me fazem e a minha tristeza por não poder mais estar aqui como antes. No meu novo trabalho, não tenho acesso ilimitado à internet e mal tenho tempo de respirar, quanto mais de postar! rs
Mas não me esqueço de vocês nem um dia, penso sempre no meu cantinho e morro de curiosidade de saber o que anda acontecendo com cada uma de vocês, mas o cansaço é tanto que no pouco tempo que estou em casa, só tenho mesmo vontade é de dormir!
Bom, a vida está muito corrida. Gasto, aproximadamente 2h30 para chegar ao trabalho e 2h30 para chegar em casa. Em outras palavras, das 24h que tem um dia, passo 5 delas em transportes coletivos! É estressante e irritante, principalmente porque são todos absurdamente lotados, mas já estou começando a me acostumar. O trabalho é legal, mas não dá tempo de fazer nada que não seja trabalhar, porque é muita coisa para fazer. A hora passa voando! rs
Estou muito feliz, porque era um sonho trabalhar no Itaú Unibanco, e finalmente estou vendo um sonho meu se realizando, o que me mostrou que, sim, todos os meus esforços diários estão valendo a pena, mas confesso que as coisas não são fáceis, não. O tempo com o meu filho diminuiu muito, e isso dói na minha alma. Gostaria muito de ser uma mãe mais presente em sua vida, mas preciso trabalhar muito, porque, infelizmente, não tenho ninguém que possa fazer isso por mim! Espero que meu filho possa compreender que fiz tudo isso por ele também, para lhe dar um futuro melhor. Espero que ele não se revolte quando crescer e nem se sinta rejeitado. Espero que ele saiba e sinta o quanto o amo.
Minha sobrinha completou 2 meses quarta-feira e está a coisa mais fofa desse mundo! #tiababonamodeon rs
Minha irmã me chamou para ser madrinha de consagração dela e eu fiquei muito honrada com o convite. Tive que ser madrinha de consagração porque não tem nenhum par masculino para batizá-la comigo, mas estou igualmente feliz, como se fosse minha afilhada normalmente rs
Quanto à RA, estou uma vergonha nacional, engordando cada dia um pouco mais! Não que eu me orgulhe disso, de forma alguma, mas eu não estou conseguindo me controlar. A ansiedade, as mudanças, o medo, vários acontecimentos da minha vida, tudo me fez exagerar na comilança (eu e minha mania de descontar todas as emoções na comida!). O livro que ganhei de amigo secreto da Alcilene está na bolsa e eu estou muito ansiosa para lê-lo, porque ele trata exatamente desse assunto. Sei que tudo isso pode parecer desculpa para se acabar na comida, mas essa infelizmente é a única forma que conheço de extravasar meus sentimentos rs.
Do mais, está tudo bem. Fora o novo emprego, nada mudou. Continuo com os mesmos questionamentos, com os mesmos medos, com a mesma insegurança, mas levando a minha vida com a fé de que tudo um dia há de melhorar. Porque assim é a vida.
Não se esqueçam de mim, por favor! Eu nunca me esqueço de vocês. Prometo que vou conseguir um tempo para passar nos blogs de todas vocês, saber como estão, matar as saudades, comentar.


Treinamento do Itaú Unibanco

Rhian cada dia mais lindo!


Minha Larissa linda! Sou tia apaixonada e babona mesmo, e assumo com orgulho! rs

Adoro vocês demais!

Beijos!

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Amigo secreto + motivo real do meu sumiço

Olá, meninas!

Este post é programado, pois não sei se conseguirei vir aqui amanhã, e como é a data da divulgação do amigo secreto, não posso ficar devendo a minha revelação (tcham tcham
tcham tcham rsrsrsrsrsrsrsrs).

Antes da revelação de quem é a minha amiga secreta e de quem me tirou, quero contar a vocês o real motivo do meu desaparecimento da blogsfera: estava participando de um processo seletivo para o Itaú-Unibanco, e finalmente fui aprovada! Meninas, agora sou funcionária do Itaú-Unibanco, e estou tão feliz que nem tenho palavras para expressar! Meu primeiro dia de trabalho é segunda-feira (02.05) e meu tempo agora vai ficar bem curto durante a semana. Mas sempre que eu puder, aparecerei! Essa era a novidade que eu tinha para contar a vocês.
Sexta-feira foi a minha despedida do meu outro emprego, e foi uma choradeira só! Trabalhei lá por quase cinco anos, e ali fiz amigos para a vida toda, por isso não é fácil deixar para trás as pessoas que amamos. Sei que quando o amor é verdadeiro, a distância não separa as pessoas, mas não terei mais aquela convivência diária, e sentirei muita falta disso. Mas é o meu futuro profissional que está em jogo, não posso perder essa chance!

Look da balada de despedida do meu emprego antigo

Foto atual da minha sobrinha, pra vocês verem como ela está

Amigo Secreto

Fui tirada por uma pessoa que ainda não conhecia, mas que tive uma alegria imensa em conhecer: Alcilene. Ela foi super criativa, porque eu não disse exatamente o que eu queria, dei dicas e deixei tudo no ar, mas ela me deu um livro muito bom chamado Mulheres, Comida & Deus. Eu simplesmente AMEI! Além disso, me mandou uma carta super legal, eu adoro receber cartas, ela nem imagina! rs
Alcilene é uma mulher batalhadora, que já emagreceu bastante e continua na luta para emagrecer mais. É linda, simpática e tem um blog muito legal, que eu estou explorando aos poucos, com calma. Não tenho dúvidas de que fiz uma nova amiga na blogsfera!
Amiga, adorei te conhecer, e adorei que você me tirou! Com certeza, esse é o início de uma grande amizade na blogsfera, que um dia pode até sair do virtual para o real, pois ela mora em São Paulo!

E minha amiga secreta é...

@ugust@ (Leila Diniz)

Olha, nem tenho palavras para dizer o quão feliz fiquei ao saber que tirei! Estava no meio do meu processo seletivo, na maior correria, e o medo de não conseguir mandar o presente em tempo hábil foi tão grande, que ela acabou recebendo o presente dela na terça-feira antes do feriado, ou seja, cedo demais! E não satisfeita, ainda mandei o pacote com remetente! rs
Eu sei, dei uma estragada na emoção da brincadeira, mas tá valendo! rs
Eu adoro essa mulher, gente, e tenho certeza de que não sou a única! Ela é muito conhecida na blogsfera, muito querida e seu blog é super badalado!
Espero que você tenha gostado do presente, linda, foi de coração, escolhido com muito carinho! Você é uma pessoa espetacular, linda e muito amada!

Bom, meninas, acho que é isso. Peço desculpas pela ausência, espero que vocês entendam e não me esqueçam, porque eu não esqueço vocês jamais!

Beijos!

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Mudanças

"Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos".


(Fernando Pessoa)


Chega um momento em nossas vidas em que mudar torna-se mais do que necessário, é obrigatório. Abandonar velhos hábitos que já não nos levam a nada. Deixar para trás amores e amigos que já não nos agregam nada, que só nos trazem ressentimento e infelicidade. Esquecer o passado de dor e frustração e reescrever uma nova história, trilhar um outro caminho. Sair da rotina, quebrar virar a mesa, mudar de direção. Nada disso é confortável, mas faz-se necessário. E quem não o faz, está condenado a viver na mesmice, sentindo o gosto amargo do fracasso.

Eu estou passando por um período de mudanças na minha vida, que futuramente serão divulgados neste blog. Estou feliz demais, embora bastante assustada, porque mudanças sempre assustam mesmo, principalmente a pessoas como eu, que são extremamente resistentes a toda e qualquer mudança, porque mudar significa sair da sua zona de conforto e isso não é fácil para ninguém. Mas como nada nunca foi fácil para mim, eu estou encarando os desafios de frente, mesmo com medo. Na minha colação de grau, o reitor disse uma frase que eu vou levar para a minha vida, sempre: "coragem não é a ausência do medo, mas continuar agindo apesar dele".

De hoje em diante, junto com essas mudanças que estão ocorrendo, eu farei mudanças na minha vida pessoal também: eu vou gostar de quem gosta de mim, considerar quem me considera, respeitar quem me respeita e pensar em primeiro lugar em mim. Nunca mais vou me permitir ser humilhada por ninguém, porque hoje eu sei o meu real valor.

Amigo secreto: eu recebi meu presente na segunda-feira, junto com uma carta, e eu adorei! Amiga secreta, estou feliz demais por você ter me tirado, é sempre espetacular conhecer pessoas novas, principalmente tão interessantes como você. Ok, vou parar por aqui, senão vocês vão descobrir quem é... rs
Minha amiga secreta também já recebeu seu presente, e ao que me parece, gostou muito. Que bom! É uma pessoa que eu adoro demais, uma "velha" amiga de blogsfera... olha eu entregando o ouro! rs foi uma honra tirá-la, e não vejo a hora de poder revelar a todas, estou até preparando um texto para isso. Quero revelar também quem me tirou, tenho umas coisas pra dizer a ela.
Vi lá no site do amigo secreto que estão rolando alguns problemas técnicos, e fiquei feliz em ver que eu tive o comprometimento de mandar meu presente na data certa e que a pessoa que me tirou também, ou seja, o círculo de confiança não foi quebrado, e a brincadeira se manteve de uma forma bacana. Não sei o que aconteceu, mas espero que tudo se resolva e que a brincadeira continue sendo para se divertir, e não para se aborrecer.

AMO DEMAIS A BLOGSFERA!


Beijos

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Abandono

Meninas, bom dia!

Eu estou viva, viu! Espero que não tenham se esquecido de mim, porque eu não as esqueço nunca, mesmo longe. Estou completamente sem tempo de postar, minha vida e minha cabeça estão uma verdadeira loucura! Estarei aqui sempre que possível, espero que vocês compreendam a minha ausência, e espero também que ela seja por uma boa causa. Saudades de vocês! Vou fazer um esforcinho extra entre hoje e amanhã para passar pelo menos nos blogs das lindas que não me esquecem nunca, sempre passam aqui e me deixam todo esse carinho gostoso e imenso! Meu coração está inquieto e a balança só subindo, subindo e subindo... sinceramente, não sei onde vou parar com tudo isso! rs

Amor

Tudo o que eu queria nessa vida era um amor sincero, alguém que não tivesse medo de amar e muito menos de ser amado. Vivo bem sozinha, eu sei, mas a vida é sempre melhor se estivermos acompanhados. Não estou esperando um pedido de casamento e nem promessas de amor eterno, apenas uma companhia para andar de mãos dadas no parque num domingo à tarde e assistir a um filme bem abraçadinhos no final de uma noite fria. Não estou buscando mentiras, ficadas baratas e noitadas intermináveis, quero alguém que se lembre do meu nome e do meu beijo na manhã seguinte, sinta-se honrado por ter me conhecido, e queira me ver mais uma, duas, dez, mil vezes. Quero alguém que esteja comigo, e somente comigo. Quero alguém que seja capaz de ser sincero sempre, mesmo quando a verdade me machucar profundamente, mas que, ao mesmo tempo, saiba ser brando ao dizer essas mesmas verdades. Quero alguém que me dê a esperança do reencontro, mas sem as cobranças do ciúme doentio. Alguém que saiba compreender que não sou somente uma, e que trago comigo alguém que depende do meu amor e da minha atenção para sobreviver, e que juntos possamos ser uma grande e feliz família. Quero um amor livre das amarras do medo, da dor e da insegurança. Quero um amor que me traga a ansiedade da espera por vê-lo, mas que me afaste de uma relação destrutiva, de traições e abandonos. Alguém que me faça sentir "borboletas no estômago", e não que o revire-o. Alguém que vire meu coração do avesso, e não a minha vida. Alguém que venha para fazer morada, e não turismo. Alguém que venha somar, e não tirar nada de mim sem dar nada de si em troca.


O problema é que o amor que eu tanto busco parece não existir mais, e eu continuo dando cabeçadas vida afora. Eu continuo me apaixonando pelas pessoas erradas, e sofrendo por causa disso. Eu continuo me envolvendo em relacionamentos sem futuro, acreditando no amor enquanto o outro só quer saber mesmo de se divertir às minhas custas. Eu continuo querendo amar pessoas que só querem aumentar sua lista de conquistas. Eu continuo confiando demais nos outros e desconfiando de menos do que parece óbvio. Meu coração não mudou, mesmo diante de todas as decepções já vividas e do tempo suficiente para saber o que é amor e o que não é.

Acontece que, mesmo sabendo o que é certo e o que é errado, eu insisto em querer me sentir amada, em querer ancorar meu coração cansado em um porto seguro, longe das inconstâncias do mar. O problema é que eu sempre escolho os portos errados, e novamente meu coração fica em desalinho, ainda mais cansado do que na tentativa anterior.

Eu não estou mais de brincadeira, não tenho mais idade, nem tempo e nem disposição para isso. Está a procura de uma noite quente de diversão e nada mais? Então, você caminha ao lado oposto do meu. Faça um favor para mim? Não tente cruzar o meu caminho, nem que de passagem. Se não tem a intenção de ficar, então nem se aproxime. Se não tem as palavras que eu quero ouvir, então nem fale. Se seu coração não está aberto para o amor, então não procure o meu. Eu fico muito bem sozinha, bem melhor do que mal acompanhada, e se for para sofrer acompanhada, eu prefiro ficar como estou. Já gostei de sofrer em algum momento da minha vida, mas hoje perdi o gosto por esse tipo de aventura. Já fui adepta de romances estilo "Romeu e Julieta", hoje prefiro os livros de auto-ajuda "ame-se em primeiro lugar e você será feliz".

Eu já fiz do amor a minha maior prioridade de vida. Hoje, a minha maior prioridade de vida sou eu. Não, o nome disso não é egoísmo, é amor-próprio. Percebi que sempre que corro atrás das borboletas elas fogem para outro jardim, muitas vezes até menos verde que o meu. Talvez porque as borboletas não gostem de mim, ou talvez porque o poeta que fez a teoria das borboletas esteja coberto de razão: "o segredo é não correr atrás das borboletas, mas cuidar do jardim para que elas venham até você". Talvez eu tenha me esquecido de cuidar do jardim, porque passei a vida inteira admirando somente as borboletas.

Não desisti de querer um amor, apenas desisti de procurar por ele, porque ando tendo a sensação de que tudo aquilo que procuramos demais, simplesmente nunca é encontrado. É como se todas as melhores coisas da vida acontecessem ao acaso.

Eu tenho tentado não tentar, mas acontece que sempre no meio do caminho eu me apaixono de novo, eu sinto meu coração bater mais forte e descompassado, eu percebo um olhar que passa a me pertencer, eu entrego o meu coração sem nem pensar nas consequências, para, de repente, descobrir que eu me enganei de novo.

Eu jurei que nunca mais me apaixonaria, e mais uma vez não cumpri a minha promessa. Eu jurei que nunca mais me deixaria enganar por um olhar, mas eu não resisti e sucumbi à tentação. Eu errei de novo, eu sofri de novo, eu chorei de novo, mas dessa vez com uma ressalva: eu matei a dor, antes que a dor me matasse.

Se estou errada eu não sei, mas uma coisa eu posso lhes afirmar com toda a certeza: nunca mais ninguém vai pisar nos meus sentimentos expostos. Antes disso, eu os recolherei e esconderei bem no fundo do meu coração. Prefiro sentimentos não-revelados a mais uma humilhação na minha vida. Prefiro o silêncio a uma declaração de amor inútil, ineficiente, abandonada. Prefiro perder a chance de um novo amor a dizer "eu te amo" e não ser correspondida. Orgulho? Pode ser. Mas eu tenho outro nome para isso: auto-preservação.

Não dê seu coração a quem não merece. Isso só prejudica uma pessoa: você mesmo.

Beijos, e agora vou passear pelos bloguinhos!

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Tá difícil!

Meninas, boa tarde!

Saudades do tempo em que tinha mais tempo para estar aqui com vocês, postando e comentando todos os dias. A vida está muito atribulada, e a cabeça também. Não tenho mais tempo para praticamente nada, e se for para fazer algo mal feito, prefiro não fazer. Gosto de postar com calma, e visitar o cantinho de vocês com mais calma ainda e analisando os mínimos detalhes, para fazer um comentário legal. E como não ando dispondo deste tempo, acabo não fazendo nada. Mas sempre penso em vocês, nunca se esqueçam disso!


Está tudo uma verdadeira loucura na minha vida, principalmente a minha cabeça. Um monte de coisas para fazer, pós-graduação, filho, emprego, problemas, cansaço, gordura... e eu não sou uma pessoa muito boa em administração de tempo. Quando tenho muitas coisas para fazer, fico muito ansiosa, quero fazer tudo de uma vez, e acabo mesmo não fazendo é nada.

Além disso, estou num desânimo de dar dó. Não tenho vontade de fazer mais nada que não seja comer e dormir. Ok, desconfio que seja TPM, e espero que passe logo. Mas como não posso me dar ao luxo de só comer e dormir, estou aqui na luta. Mas confesso que ando comendo como uma louca descontrolada. E, claro, a balança não para de subir, porque eu não paro de comer. Nem parece aquela mesma Nathalia motivada de um mês atrás, fazendo RA e AF lindamente, e anotando tudinho no caderno. Não estou conseguindo fazer dieta nem por três horas seguidas, o que dizer o tempo suficiente para chegar ao meu objetivo.

Confesso que tenho namorado MUITO a ideia de desistir de emagrecer, me aceitar como sou e parar com essa paranóia escrava de balança, medidas, comida saudável, contagem de calorias etc, etc e etc. Ah, sei lá, estou tão de saco cheio de me olhar no espelho e me sentir feia, de ficar tentando atingir um peso que parece impossível, de ficar me privando de tudo o que eu gosto para depois enfiar o pé na jaca e acabar com todo o meu esforço do mês!

Não quero ser gorda e nem recomendo isso para ninguém, mas pqp!, eu não consigo fazer nada direito! Começo a RA super empolgada, emagreço e me sinto super bem, de repente caio na comilança de novo e esqueço da vida. Conclusão: engordo de novo!

Estou completamente de saco cheio dessa dança do engorda-emagrece, sabe. Às vezes tenho a impressão de que não nasci para ser magra, e não adianta ficar insistindo nessa bobagem, que eu poderia gastar essa energia com outra coisa na minha vida.

Vontade de jogar tudo para o alto, não só a RA. Meus esforços ultimamente nunca resultam em nada, e eu estou cada dia mais chateada com isso. Só queria ter uma vida normal, ao lado de alguém que me ame e me respeite, criar meu filho, conseguir alcançar meus objetivos, ganhar mais dinheiro para ter uma vida mais confortável, poder comprar um carro e um apartamento simples, para ser independente, e ser feliz, mas entra ano, sai ano e as coisas não se movem, e não é por falta de esforço, porque isso eu tenho feito muito, todos os dias. Estou cansada demais de ser sozinha, de todas as coisas que eu almejo darem errado, de nadar, nadar e nadar e morrer na praia...


Peso da semana. E se eu continuar comendo como estou, vai aumentar ainda mais...


Do mais, está tudo bem. Graças a Deus eu e minha família estamos com saúde, eu tenho um filho lindo que me ama e precisa de mim inteira para ele, eu tenho um emprego e estou estudando para buscar um futuro melhor. Sou agradecida demais por todas as coisas da minha vida, mas eu quero mais, quero ser feliz, quero ter equilíbrio, quero me sentir bem.


Estou frustrada demais, meninas. Desculpem. Para alegrar um pouco esse post, fotos dos dois bebês mais preciosos da minha vida:





Beijinhos, lindas! E tenham uma ótima semana!

quarta-feira, 30 de março de 2011

Acabou a gracinha

81,7 kg. E merecido.


Tá na hora de parar, né? Sim, eu sei. Pelas minhas contas, eu deveria estar com 73kg. neste momento. Mas por minha própria burrice, eu engordei. Não vou ficar aqui chorando as pitangas e lamentando a "cagada master", apenas quero dizer que estou disposta a retomar minha RA e buscar novamente uma vida saudável.

Estou comendo muito, meninas. Muito mais do que eu devo, quero e posso. Às vezes tenho a sensação de que comer é a única coisa que ainda é boa na minha vida, e como até não aguentar mais. Estou comendo sem nem perceber o que estou comendo. Estou comendo para preencher vazios da minha alma e da minha vida. Estou comendo para desviar a atenção dos meus problemas e concentrá-la em um problema "menor": a obesidade. É como se, tendo a obesidade para me preocupar, eu possa fugir de outras questões mais graves da minha vida, com as quais não consigo lidar. Mas a verdade implícita é que fazendo isso, além de não resolver os meus problemas, estou criando outro gravíssimo e perigosíssimo. Obesidade mata, e isso não é brincadeira!

Confesso que estou naquela fase "nem um pouco afim de fazer RA", mas eu quero recuperar o foco e emagrecer. Hoje já fiz uma alimentação mais regrada e voltei para a academia, mas quero fazer as coisas devagar e com calma, sem ansiedade, porque a ansiedade sempre coloca tudo a perder na minha vida.

Bom, esse é o look que foi para o blog da @ugust@ no domingo. Como já foi postado lá, posso divulgá-lo aqui também:

Sim, isso é uma calça saruel, contrariando todas as etiquetas de moda para gordos. Eu sempre quis usar, mas sempre me prendia a esse detalhe, porque certa vez vi uma consultora de moda dizendo que esse modelo de calça é somente para magras, pois chama a atenção para o quadril, que é uma das partes mais volumosas de uma boa gordinha. Mas de uns dias para cá comecei a pensar no por que continuo me privando de fazer as coisas que gosto por causa da opinião de "especialistas" e "xeretas", então liguei o foda-se e estou me sentindo muito mais feliz depois disso.


Aproveito, também, para mostrar a nova cor do meu cabelo: granada. Adorei, é um vinho bem forte, que não aparece somente no sol. Estou curtindo muito a mudança! A bochechinha rosada é resultado do blush, que eu ainda estou aprendendo a usar com moderação... huahuahuahua


Nunca mostrei para vocês esse quadro do Rhian vestido de Pablo, do Backyardigans (as mães de plantão sabem do que estou falando rs). Lindo da mamãe (mamãe coruja mode on)!

Para fechar com chave de ouro, uma foto com alguns dos amigos que eu tanto amo. Eles me mantêm de pé com sua energia positiva e seu apoio de sempre. O dia em questão foi muito legal e inesquecível. Ando meio sem palavras ultimamente. A cabeça está trabalhando muito, e várias coisas estão acontecendo de maneira simultânea, então tenho dias de extrema felicidade e dias de extrema tristeza. Entretanto, agora as coisas estão acontecendo de forma mais natural na minha vida, porque eu, finalmente, estou aprendendo a lidar com as adversidades, a ser feliz mesmo quando as coisas não estão saindo "do jeito que EU queria". Acho que finalmente eu estou amadurecendo, crescendo e me tornando uma mulher. Muitas coisa está mudando, e a mudança não para por aí... "Sinto falta de você e a palavra que me cura, ninguém vai dizer Cada coisa que eu consigo, quero dividir contigo Não vai ser fácil esquecer" Beijos, minhas lindas! E tenham uma excelente semana.

domingo, 27 de março de 2011

Felicidade sempre tem nome

Meninas, boa noite!

Está difícil de postar aqui, viu! Sempre penso em vocês, até dei umas passadas nos blogs durante a semana, mas postar eu realmente não consigo. Ah, meu Deus, o que está acontecendo com o meu tempo, que está cada vez mais escasso? rs

A notícia maravilhosa é que minha sobrinha nasceu sexta-feira, às 13h50, com 46,5cm e 2,425kg. Ela é pequenininha, mas é a coisa mais linda desse mundo! Estou completamente encantada e apaixonada.
Nem consegui contar sobre o chá de bebê e a menina já nasceu! rs
Fizemos o chá de bebê no domingo passado, foi muito divertido! Eu já sabia que ela ia nascer nessa sexta-feira, porque foi de cesárea e o parto foi marcado, mas passou tão rápido que nem percebi! E como não postei a semana toda, acabei não conseguindo falar sobre o assunto.
Minha irmã está super feliz, pois o sonho dela era ser mãe. E a família todinha está encantada e babando muito! Fui visitá-la ontem, estava super ansiosa para conhecê-la, não pude acompanhar o nascimento no hospital por causa do Rhian, que ainda está doentinho e não era recomendado ficar perambulando por hospitais.
Senti a mesma emoção de quando meu filho nasceu quando a vi, acredito que seja pela ligação fortíssima que tenho com a minha irmã. Nós nos damos muito bem desde crianças, e isso reflete no nosso relacionamento até hoje. Quando o Rhian nasceu ela me disse que sentiu uma emoção enorme, como se fosse filho dela, e hoje eu entendi isso.

No chá de bebê

Rhian tava tão chatinho nesse dia... (só nesse? rs)

E, por fim, conheçam a menina mais linda desse mundo, a Larissa:

"Cê parece um anjo, só que não tem asas..."

Rhian visitando a priminha e aprontando no hospital... rs

Bom, tanto tempo sem postar e tudo o que tenho para dizer é que estou transbordando de alegria pelo nascimento da Larissa. Felicidade sempre tem nome, e dessa vez é o dela.

Minha RA está uma catástrofe, confesso e admito. Inclusive eu engordei. Não sei mais o que faço para retomar o foco, não sei mais o que faço para conseguir emagrecer. Sou uma comedora compulsiva, e sempre piso na bola e não consigo mais retomar. Estou pensando em alguma estratégia para voltar com força total, e conto com a força de vocês.

Saudades de vocês!

Beijos, beijos e mais beijos.

sexta-feira, 18 de março de 2011

Administradora

Bom dia, meninas!

Ainda me recuperando dos momentos de emoção e saudade... rs
Minha colação de grau foi linda e muito emocionante, não tenho palavras para descrever. Sempre achei essas cerimônias muito chatas, mas agora percebi que quando é a nossa, tudo muda de figura.
Vou ficar devendo as fotos com a beca, pois não tenho muito saco para ficar tirando fotos e por essa razão, não tem nenhuma dessa data na minha câmera. Tirei as fotos oficiais e uma funcionária da universidade tirou uma foto minha e ficou de me passar por email, assim que ela fizer isso, posto aqui.
O problema é que essa minha mania de não ter saco para tirar fotos me atrapalha muito, pois acabei não tirando fotos com os meus pais, meu filho e minha irmã, que foram assistir à cerimônia, e nem mesmo com meus amigos formandos.
Eu me emocionei muito durante toda a cerimônia de colação, principalmente ao me lembrar que quando fiquei grávida, no 2º ano da faculdade, muitos temores rodearam a minha mente. Quando a barriga começou a ficar grande e pesada, cogitei a hipótese de trancar a faculdade. Minha família e meus amigos me disseram para não fazer isso e me incentivaram a seguir em frente, e eu continuei mais por eles do que por mim, porque eu estava tão cansada e arrasada com a minha própria vida, que pouco importava o que iria acontecer. E hoje eu vejo o quão importante foi esse apoio, o quão valiosa foi a motivação que cada uma dessas pessoas trouxe para mim. Eu estou aqui graças a todas essas pessoas que me disseram que ia dar certo quando tudo parecia caminhar para o buraco, que me provaram que o que parecia impossível era possível, que riram e choraram junto comigo, que fizeram a minha vida mais feliz quando tudo parecia inundado de uma infelicidade vazia e dominadora. Pessoas que me disseram sim enquanto eu mesma estava me dizendo não. Pessoas que confiaram e acreditaram na minha capacidade de reverter o quadro e vencer. Pessoas que me abraçaram e me ouviram quando o choro vinha aos meus olhos. Pessoas que me prometeram que ia dar certo, e não erraram. Pessoas que eu amo, respeito e admiro profundamente.
Dentre todas essas pessoas, devo um agradecimento mais que especial à minha mãe, que cuidou do meu filho para que eu pudesse continuar frequentando as aulas, que segurou a onda junto comigo, que respeitou meus momentos de ira e tristeza, que riu quando eu disse que ia reprovar e me disse que sabia que eu ia conseguir. Se não fosse ela minha vida teria parado, porque eu sei e sinto que ninguém se doaria tanto à minha causa como ela, ninguém cuidaria do meu filho todos os dias, o dia todo, para que eu pudesse continuar estudando. Isso só é coisa de mãe, e não de qualquer mãe: apenas uma mãe que ama seus filhos incondicionalmente, sem medo e sem ressalvas, como a minha.
Temos as nossas diferenças e desentendimentos, aliás muito mais do que entendimentos, mas sei reconhecer o peso e a importância de sua atuação na minha vida. Sem ela, nada disso teria sido possível.Meu filho também estava na plateia me prestigiando. Estava um gato com camisa social e colete, e ficava me apontando no telão. Coisa mais linda da mamãe!
Rhian foi o recomeço em meio ao fim. Com ele, eu aprendi que não importa o que esteja acontecendo, todos os dias eu preciso encontrar forças para levantar da cama e continuar a caminhada. Acho que se ele não tivesse nascido, eu nem estaria mais viva, pois teria permitido que a depressão tomasse conta de tudo e teria me entregua è dor e ao fracasso.
Deus nunca erra, e essa gravidez não-planejada teve um motivo justo na minha vida, porque eu ensino muita coisa ao meu filho todos os dias, mas sempre tenho a sensação de que aprendi mais do que ensinei. Ele me trouxe de volta à vida, ele me deu a consciência de que eu preciso me amar e me valorizar mais, ele me mostrou que amor não precisa ser só amor entre um homem e uma mulher, que o amor de um filho também enche o coração e a vida de alegria, ele me fez ver que eu posso ser muito mais do que eu sou e que, sim, eu sou maior do que qualquer obstáculo que se transpõe no meu caminho.
Eu tenho muito orgulho de ser mãe, mesmo nas condições em que isso aconteceu. Tenho orgulho de ter vencido o medo, a insegurança e o fracasso e ter optado pela vida do meu filho, tenho orgulho em saber que posso criá-lo mesmo sem ter um pai presente, tenho orgulho em saber que eu venci a dor e cheguei até aqui!

A saudade dos amigos também é uma coisa que sei que vai me acompanhar. Não vamos deixar de nos ver, mas nos veremos com menos frequência, e isso vai doer. Vamos tomar rumos diferentes, e a distância é a coisa que mais nos faz dar valor às pessoas que amamos.

Estudei quatro anos com esse povo, mas só agora vejo o quanto os amo, respeito, admiro, prezo e torço para que tenham uma vida espetacular. Não quero perder o contato com nenhum deles, e espero que essa amizade seja tão real para eles quanto é para mim. AMO VOCÊS DEMAIS!

Mas esse não é o fim, é só mais um recomeço. A minha vida não para, eu tenho sede e quero continuar fazendo mais e melhor, quero continuar crescendo e encontrando o meu espaço no mundo.

Mais um ciclo que se fecha para dar espaço a outro que se inicia, e a certeza absoluta de que SIM, VALEU A PENA!

Beijos a todas e tenham um fim de semana maravilhoso.

quarta-feira, 16 de março de 2011

Segredo

Eu estou convencida de que sofro de um mal que chamo de Distúrbio de Distorção de Imagem (DDI). Sim, meninas, porque eu não tenho nenhuma noção do meu tamanho REAL, exceto em três situações:

a) No espelho do elevador do meu trabalho
b) Nos espelhos de provadores de lojas
c) Em fotografias

Confesso e admito (aqui eu posso falar sem medo de ser censurada) que fiquei muito frustrada com as poucas fotos que vi da minha festa de formatura, porque estou absolutamente IMENSA em todas elas.
Eu sei que sou GORDA, infelizmente tenho espelho em casa e ele nunca me deixa mentir e nem me enganar em relação a isso. Porém, eu não tinha a menor ideia de que era tão gorda quanto vi nas fotos. Estou abismada, de verdade!
E então, em meio a tudo isso, lembrei-me de um livro que li no final do ano chamado "Férias", que tratava da história de uma dependente química que é internada pelos pais em uma clínica de reabilitação após passar da conta com drogas, perder completamente o juízo e destruir a própria vida (perdeu emprego, amigos e namorado). Ela não se achava uma viciada, acreditava piamente que usava drogas por hobbie e que poderia parar quando quisesse, reparava nos dependentes químicos da clínica, tinha pena deles e de suas histórias, até que um dia se deu conta de que ela era exatamente igual a eles, que apenas usou seu mecanismo de negação para não ter que admitir a verdade de sua vida. Graças a Deus não sou uma dependente química, mas sou uma dependente de comida, e ao que me parece, estou tentando me enganar em relação ao meu peso o tempo inteiro.
Muitas vezes penso que não há necessidade nenhuma de emagrecer, que me sinto extremamente bem como estou e que deveria parar de dar ouvido à opinião alheia, mas de repente quando me deparo com uma foto como a da minha formatura, percebo que eu já ultrapassei todos os limites possíveis e imagináveis do excesso de peso e que meu corpo não está mais suportando a bomba calórica que eu me tornei.
É muito difícil vir aqui e escrever todas essas coisas, porque na verdade eu queria mesmo é que a imagem que permanecesse na minha cabeça é a de que estou com um corpo bom e nada preciso mudar, mas se eu continuar me enaganando, vou chegar aos 90 novamente, e daqui a pouco estarei na casa dos 3 dígitos e por aí vai, assim como muitas histórias de muitas meninas da blogsfera, que eram magras de tudo e de repente, não mais que de repente, se viram com mais de 100 kg. e sem saber como agir.
Quando eu pesava 66 kg. e minha mãe me chamava de gorda, achava que nunca iria ultrapassar esse peso. Quando cheguei aos 70 kg. e eu também já me achava gorda, continuei achando que nunca ia ultrapassar essa marca. Apenas ao ver o ponteiro da balança nos 92kg. no final da minha gravidez, é que me caiu a ficha de que se eu continuasse comendo como se não houvesse amanhã, meu peso não pararia de aumentar nunca, até eu só conseguir emagrecer através de uma intervenção cirúrgica, coisa que não quero e nem espero para a minha vida.
Eu me achava uma gorda horrenda com 70kg., então o que eu deveria pensar de mim agora, com 81,4kg? Tenho me feito essa pergunta todos os dias, acompanhada de outra: por que estou fingindo que não é comigo? Por que continuo acreditando que posso viver exatamente com o peso que estou e que se dane o que os outros pensam? Por que eu continuo olhando fotos e me chocando com o meu tamanho, se as fotos apenas mostram quem eu, de fato, sou?
Estou decidida a emagrecer há muito tempo, mas até o presente momento eu não tomei nenhuma atitude concreta em relação à minha decisão, e de nada adianta somente decidir se não se vai agir em busca dessa decisão.
Eu sei exatamente o caminho para emagrecer, e ele é relativamente fácil e simples, pura matemática (comeu mais do que gastou = engorda / gastou mais do que comeu = emagrece). Eu tenho um metabolismo abençoado e muita facilidade para emagrecer (graças a Deus!), basta fazer por onde. Eu tenho o apoio de todas as pessoas do meu convívio para esta empreitada e, o mais importante, eu tenho dentro de mim o desejo louco, intenso e absurdo de vencer essa luta, então por que ainda não o fiz?
Posso dizer aqui que emagrecer envolve muito mais questões do que a matemática e o físico, e é verdade, mas se eu continuar usando isso como desculpa (eu como porque estou ansiosa, eu como porque estou triste, eu como porque estou feliz, eu como porque estou deprimida, etc etc e etc) nunca vou conseguir emagrecer, e vou sempre ficar culpando terceiros e situações pelo meu fracasso.
Ninguém pode fazer isso por mim, somente eu. Não adianta ficar esperando um milagre, porque ele não vai acontecer. Eu não vou dormir gorda e acordar magérrima e linda. Para isso, eu preciso suar muito a camisa, acertar e errar, tentar e desistir mil vezes, mas não abandonar meu obejtivo nunca. Esse é o real segredo do emagrecimento.
Ninguém disse que ia ser fácil, e nem eu jamais acreditei nisso. Aqueles que dizem que emagrecer é muito simples, é porque jamais foram obrigados a brigar contra o peso, a abrir mão das comidas que gosta e comer outras nem tão saborosas, a estar em eventos e ter que dizer não a guloseimas espetaculares passando bem na frente do seu nariz o tempo todo, a ter que fazer exercícios físicos mesmo odiando. Não é fácil, não é simples e nem é gostoso, mas é necessário.
ESTOU NA LUTA, QUEM ME ACOMPANHA?

*****

Meninas, hoje é a minha colação de grau, o passo final para a conclusão da minha graduação. A partir da amanhã já posso entrar com a solicitação do meu diploma e então, sim, poder dizer que sou uma Administradora. Estou muito feliz com essa realização, era um sonho muito forte dentro de mim, e conseguir realizar um sonho nos torna maiores, melhores e mais confiantes.
Minhas aulas de pós-graduação começaram segunda-feira (14/03), e eu estou gostando muito, apesar de estar com uma preguiça imensa de estudar (rs). Resolvi emendar tudo, porque se eu parar agora, acho que não volto nunca mais! Estou fazendo MBA em Recursos Humanos, que é a área que eu realmente curto e quero trabalhar. Demorei muito para descobrir minha vocação, até achava que não tinha nenhuma (sério, cheguei a ficar preocupada, pois via todos os meus amigos sabendo exatamente o que queriam fazer da vida e eu, nada!), mas acho que agora eu me encontrei. Entretanto, se não for isso que eu quero mesmo, não hesitarei em mudar.
Rhian está melhor, porém ainda está tendo febre. Minha mãe ligou hoje cedo para me avisar que vai levá-lo novamente ao Pronto Socorro, pois ele amanheceu com febre, e como vocês sabem, febre de manhã é sinal de alerta. Estou no aguardo de uma ligação dela para me dizer o que aconteceu, mas ele está bem, fiquem tranquilas.

Beijos e agora vou passar nos cantinhos das minhas lindas!

domingo, 13 de março de 2011

De volta ao mundo real

SAUDADES MASTER DE VOCÊS!!!!!!

Meninas, não tenho nem palavras para descrever quanta saudade eu estava desse cantinho, de vocês, de tudo! Quando fico longe do blog me sinto mal, sinto que está faltando alguma coisa na minha vida, posso dizer até que me sinto triste!
Mas, ah, desde quarta-feira passada minha vida virou uma verdadeira loucura e eu acabei não conseguindo passar por aqui nem para dar uma olhadinha!
Sexta-feira eu viajei com o Rhian, mas meu carnaval foi catastrófico, prefiro nem comentar! A viagem tinha tudo para ser espetacular, mas foi estragada pelas atitudes de uma pessoa do meu convívio que me magoaram muito. Depois ficou "tudo bem", mas existem certas coisas que acontecem que, por mais que depois sejam consertadas, não tem mais volta no nosso coração.
Além disso, o Rhian chorou e vomitou durante os cinco dias de viagem, não aguentava mais ficar na beira do tanque lavando roupa de vômito. E o pior é que se eu não lavasse, ele ficaria sem nenhuma roupa para vestir. Ao voltar para casa, a bomba: ele está com broncopneumonia.
Eu sabia que ele estava doente, porque já tem um tempo que ele está com uma tosse bem feia (tosse tanto que chega até a vomitar!), mas já havia levado-o ao pediatra, que disse que era uma gripe comum. Fiquei realmente chocada com o novo diagnóstico, e me sentindo muito culpada por não ter desconfiado de nada, mas o importante é que ele está bem, já está sendo medicado e não precisou de internação.



Por fim, sexta-feira (11/03) foi a minha festa de formatura. Eu não ia, pois não fiz a adesão e não havia conseguido comprar convite, mas aos 45 minutos do segundo tempo (no sábado de carnaval, para ser mais exata), um grande amigo meu conseguiu um convite para mim. Sua tia desistiu de ir e ele me deu o convite. Sim, o convite custava R$ 150,00 e ele me deu, segundo ele em consideração à nossa amizade de quase cinco anos. Alguma dúvida de que essa amizade é real? Eu me senti muito feliz e honrada com isso, não pelo valor do convite em si, mas pelo carinho, respeito e consideração a mim dispensados.
A festa foi espetacular, nem tenho palavras para descrever o quão maravilhoso foi, ficamos até o final, não saímos da pista de dança, eu estava rodeada por pessoas que eu amo... adorei!
Sabe, sempre fui uma pessoa muito tímida para essas coisas, nunca gostei de me expor, sempre tive medo de dançar em festas e as pessoas rirem da minha cara por eu não saber dançar ou por causa do meu tamanho (peso), então sempre fiquei sentada e nunca aproveitei nada, por puro medo da opinião alheia, mas de uns tempos para cá eu decidi que vou ser feliz do jeito que sou e ponto final, então parei com essas besteiras, estou me soltando mais, saindo mais com os amigos, dançando quando tenho vontade de dançar, usando roupas curtas, andando de cabelo solto, fazendo o que eu tenho vontade. E desde que eu decidi ser quem eu realmente sou, passei a me sentir melhor. Sei que tenho que emagrecer e não vou desistir da minha luta contra a balança, mas eu não posso deixar de viver por causa do meu peso, preciso me sentir bem como sou, para só então poder fazer mudanças significativas na minha vida.
Estou numa luta muito grande comigo para ser quem realmente quero ser sem medo e sem ressalvas, abandonar os traumas e encontrar o equilíbrio, mas não é fácil. Eu tenho muitas recaídas, porque não consigo lidar com o fato de não ser a pessoa que eu queria ser, e me sinto muito mal por isso. Eu vivo rodeada de medo, de culpa, de autoestima baixa, de medo, e isso atrapalha demais a minha vida. É por isso que eu sempe digo que minha maior inimiga sou eu mesma, eu sou a pessoa que mais me prejudica. Mas esse quadro vai mudar, não importa quantos anos demore, eu vou ser feliz!
Deixo uma foto da minha formatura para vocês sentirem o clima bom que estava lá:
(só não reparem o meu tamanho na foto... parece um elefante roxo! huahuahuahua)


Por fim, a gente só dá valor às coisas quando as perde. Eu estou perdendo uma pessoa que eu nem sabia que amava tanto assim, e meu coração tá doendo muito. Eu me enganei, eu fingi que não era comigo, e por causa disso perdi a chance de demonstrar e dizer o que eu sinto, mas agora é tarde demais. Acho que não tem mais jeito e nem volta, mas agora não há mais nada a ser feito a não ser esperar. Ele vai voltar, não sei quando, mas vai, e quando isso acontecer eu vou ter mudado, ele vai ter mudado, e quem sabe as coisas não se acertem? Eu já tinha me esquecido o que era gostar de alguém, e não soube lidar com isso. Por medo de me expor, não ser correspondida e sofrer de novo, eu fugi da verdade. Mas sempre que fugimos da verdade, uma hora ela acaba nos encontrando. E ela me encontrou. E tá doendo. Meu coração está tão pequeninho... mas o futuro a Deus pertence, e agora chegou meu momento de exercitar a paciência.

Post imenso, mas não tinha como ser diferente. Agora vou para o cantinho de vocês ver o que está acontecendo e matar as saudades. Desculpem a ausência, trabalhei muito esses últimos dias e muitas coisas aconteceram de uma única vez, mas agora estou de volta para tudo, principalmente para a R.A.

Amo vocês demais!
Beijos e mais beijos!

quarta-feira, 2 de março de 2011

Piada

E daí que ontem, revoltada com o resultado da pesagem de segunda-feira, enfiei o pé na jaca geral (gordo sempre inventa motivo para comer, né? rsrsrsrs). Comi tanto ontem, que nem sei como não passei mal! Sério. Rolou uma overdose de doces, quase não pude controlar o que eu mesma estava comendo. Comi como uma louca, sem medo e sem culpa. Já que fazendo as coisas certas, não tá dando, vou fazer errado mesmo e que se dane! Pelo menos eu engordo comendo - foi o meu pensamento na hora.
É claro que depois eu me arrependi amargamente, principalmente ao me lembrar da pesagem de hoje de manhã para o desafio da Bethynha, e prometi a mim que se o meu peso estivesse hoje pelo menos igual ao de segunda-feira, nunca mais eu ia jacar como jaquei ontem.
Não sei se Deus ouviu as minhas preces, ou se a piada é mesmo engraçada. Saca só o peso de hoje de manhã:
É para rir ou para chorar? Eu não consigo entender o que acontece! Fiz tudo direitinho a semana inteira, e a balança me mostrou 600 gr. a mais, e apenas dois dias depois, logo após uma jacada histórica, ela me mostra os mesmos 600 gr., só que a menos. Eu li as explicações de vocês no post anterior, e confesso que fiquei mais aliviada, porém isso nunca me aconteceu antes, e eu estou meio assustada. Comigo sempre foi assim: se eu comia muito, engordava. Se eu comia pouco, emagrecia. Nunca teve essa da balança oscilar tanto, em tão curto espaço de tempo.
O que eu preciso fazer mesmo é desencanar da balança e continuar a minha RA, porque nem só de números é feito o emagrecimento, e as mudanças que estou sentindo no meu corpo e com as minhas roupas nada tem haver com o peso que a balança me mostra no visor. O que acontece comigo, é que sempre que faço esforços que não dão resultados efetivos, eu largo tudo de mão e volto ao comportamento errado. Vai me entender, né? rs
Preciso retomar o meu foco, senão vou largar a RA de novo, e eu não quero isso! Decidi, também, desencanar um pouco dessa meta que me inpus de emagrecer 4 kg. por mês, porque sempre que o fechamento do mês se aproxima e eu vejo que não emagreci o esperado fico ansiosa e frustrada. Estava pensando hoje no caminho para o trabalho: independentemente de eu emagrecer 1 kg. ou 4 kg. no mês, em setembro, estarei mais magra e é isso que realmente importa. Pode ser que não tenha emagrecido os 34 kg. que eu tanto quero, mas se eu já tiver emagrecido 18 kg., por exemplo, não já será espetacular?

Pequenas Notas
Mais uma foto de sábado. Eu me achei com uma cara imensa nessas fotos, e odiei! rs

Aqui é a tal da pizza de frigideira que a Fran tanto falava! Encontrei no mercado a massa para fazê-la. É integral, tem bem menos calorias que o pão sírio e é igualmente deliciosa! Adorei! #ficaadica

Hoje tenho dermatologista e não estou para muita conversa: já tenho 25 anos, sou uma mãe de família e minha cara continua lotadade espinhas, como uma adolescente. Não quero mais remedinhos de ficar passando no rosto, quero algo que solucione de uma vez por todas o meu problema com oleosidade da pele e do cabelo! #prontofalei

Alguém tem alguma indicação de cirurgião plástico bom aqui em São Paulo? Estou procurando um para fazer uma mamoplastia de redução, e indicações de amigas são bem vindas! Obrigada.

Minha sobrinha vai nascer dia 24 de março. Pegou todo mundo de surpresa, mas eu estou animada e ansiosa, não vejo a hora! Ela vai ter que nascer de cesárea, pois além de ser uma bebê grandona, está com o cordão umbilical enrolado no pescoço. Como o tempo passa rápido: ontem mesmo minha irmã estava anunciando a gravidez! rs quando minha pequena chegar, encontrará uma titia mais esbelta! rs

Acho que por hoje é isso. Desejo a todas um maravilhoso dia e vou correr para visitá-las (se o meu "amigo" aqui do trabalho não decidir ficar me xeretando, é claro!).

Beijos, beijos e mais beijos!

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Quem decide é a balança

Boa tarde, meninas!

Está ficando meio complicado de vir aqui, porque agora tem um filho da puta aqui no meu trabalho que decidiu ficar olhando o que eu faço e fazendo fofoquinha pra chefia. Pois é, o cara não é nada meu, não tem nada haver comigo e nem com a minha área, e faz isso pelo simples prazer de ser o disseminador de informações da empresa, mas fazer o quê, né? Tem gente que se sente feliz em ser medíocre e imbecil, então se ele está confortável assim, quem sou eu para destruir sua felicidade? Mas é claro que não vou abandonar meu blog e muito menos vocês. Pode ser que minhas vindas e visitas sejam menos frequentes, vou fazer um esforço para que isso não aconteça, mas caso aconteça vocês já sabem o porquê.

Dia de pesagem

Será que raiva pesa? Porque essa foi a única coisa a mais que "comi" durante essa semana... rs
Bom, eu já falei aqui mais de uma vez que tem coisas que a balança faz que eu realmente não compreendo, mas tudo bem. Quarta-feira da semana passada, ela registrou esse peso:
Comi exatamente igual as outras semanas em que emagreci e o resultado de hoje foi esse:

Sério, dá vontade de enfiar o pé na jaca e acabar com tudo, já que me privando da comida eu estou engordando do mesmo jeito, mas quer saber de uma coisa? Talvez seja isso mesmo que as energias negativas querem de mim: que eu desista e continue sendo uma gorda infeliz e insegura. Mas que pena, isso não vai acontecer. Vou continuar lutando contra meu excesso de peso, e tenho certeza de que a vitoriosa dessa guerra serei eu. Estou de volta à casa dos 80, mas não por muito tempo.

Fim de Semana

Trabalhei no sábado até 13h, saindo de lá fui ao cabeleireiro fazer uma escova e as unhas, pois ia sair com os amigos à noite. Para ser bem franca, não estava nem um pouco afim de colocar a cara para fora de casa, mas se eu me entregar a tantos sentimentos ruins, o que será de mim? Tomei coragem e fui. E, olha, valeu muito a pena! Meus amigos me colocam para cima, me fazem rir muito e até esquecer as coisas ruins por um certo tempo. Acho que é a energia positiva que existe em cada um deles que me faz tão bem, porque eles são pessoas do bem, e isso dá para sentir de longe.

(a cara de bunda melhorou depois de encontrar o pessoal rs)

Estou um pouco cansada, porque não consegui dormir tudo o que precisava neste fim de semana, mas confesso que estou me sentindo melhor. Não tenho interesse nenhum de desistir da minha vida, das coisas que eu quero e da pessoa que sou, então estou lutando contra as coisas ruins que insistem em me atormentar.
Muitas meninas já falaram sobre eu procurar um psiquiatra: quando iniciei minha terapia, quase 2 anos atrás, estava tão mal que a psicóloga me disse que só a terapia não resolveria meu problema, então me encaminhou para este profissional. Não tenho nenhum preconceito, muito pelo contrário, sei que seu trabalho ajuda muitas pessoas, inclusive ajudou a mim também, acontece que não gosto de ficar tomando esses anti-depressivos da vida, pois tenho medo de ficar dependente deles e depois só conseguir viver se tomá-los. Durante muito tempo, essa minha resistência em tomar remédios foi assunto esgotado na minha terapia, hoje a psicóloga já se convenceu de que posso superar todas essas coisas sem ajuda química, então estou seguindo o caminho.
Tenho muitas recaídas ainda, mas não acredito que isso signifique que meu tratamento não está dando certo. Eu parei de mascarar a minha dor com a comida, e fui obrigada a encarar os problemas de frente depois disso, e o choque, apesar de grande, foi necessário para que eu pudesse crescer mais um pouquinho nessa minha longa caminhada por essa vida.
Eu não sei quanto tempo vai demorar para eu ser a pessoa que eu quero ser, mas uma certeza eu tenho: não importa quem eu sou, eu sempre vou me amar dessa forma.

Que todas vocês tenham um lindo dia e que os resultados da balança tenham sido melhores que os meus! rs

Beijos.

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Melhor

Eu amo a minha vida, e tudo o que há nela. Sou uma pessoa muito reclamona, que lamenta a própria sorte sempre que alguma coisa sai errado, mas no fundo sei o quanto Deus me abençoa todos os dias. É claro, Ele não me manda tudo o que eu quero, porque talvez não seja a hora exata ou a coisa certa a se querer, mas ele manda tudo o que eu preciso, e é isso que importa.
"Deus não dá o fardo maior do que a gente pode carregar" - essa frase é muito certa, pena que quando estamos passando por situações difíceis, não conseguimos pensar de forma tão racional.
Sou uma pessoa que teve muitas frustrações na vida justamente na área em que eu julgava mais importante, e isso fez com que muitas outras coisas igualmente ou até mais importantes perdessem o sentido para mim, e a minha luta hoje é para acreditar que não existe coisa mais importante nesse mundo para mim do que eu mesma (e isso não se chama egoísmo, se chama amor próprio).
Sim, eu tenho um filho lindo para criar, e eu não posso fugir da vida só porque as coisas não são como eu sonhei que fossem. Temos que aprender a viver com o que nos é dado, temos que aprender a dançar conforme a música, e se não tiver música, aprender a dançar com a melodia da nossa própria cabeça. Nascemos sozinhos e vamos morrer sozinhos, e isso é algo que devemos ter sempre em mente, porque nem sempre estaremos acompanhados e quando isso acontecer, temos que saber como agir para não morrer.
Sim, eu tenho que aprender a me amar exatamente do jeito que sou, porque não tem outra, não posso ser outra, só posso ser essa mesmo, fazer o quê? E o que eu não gosto, eu tenho que lutar para mudar. Mas continuar me amando, sempre. Porque a beleza não está num padrão, mas sim nos olhos de quem nos ama.
Eu tenho que vencer a dor, porque se eu deixar a dor me vencer, então não terei sido ninguém, não terei escrito meu nome em lugar nenhum e serei lembrada somente pela minha fraqueza.
Amo vocês demais! Obrigada pela força incondicional e pelo carinho de sempre.
Eu vou me recuperar, acreditem!
Beijos.

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Enlouquecendo, será?


Meninas, bom dia!


Por aqui, tudo ok. RA nos eixos, apesar de hoje pela manhã eu ter visto 300gr. a mais que eu não sei de onde vieram, pois estou me comportando como uma lady linda e magrela. Vou acreditar que a balança está me enganando, porque se eu realmente tiver engordado, provavelmente vou me revoltar e me acabar em uma barra de chocolate, não sem antes comer um bife à parmegiana com fritas rs.

Hoje não vai rolar academia, porque estou com uma dor muito forte no joelho esquerdo e estou com medo de forçá-lo e escangalhá-lo ainda mais. Não sei o que acontece com ele, está doendo desde segunda-feira, mas agora a dor tornou-se insuportável, então é melhor não abusar.

Eu não estou bem, e não sei explicar o por quê (percebe-se pelos meus posts, né?). Sei lá, caí num caminho errado e não consigo sair dele. Estou dormindo todos os dias às 21h, porque não tem nada que eu queira realmente fazer com o meu tempo livre. No caminho para o trabalho, tenho medo de tudo: do ônibus, das pessoas, do caminho, do horário - tudo. Não tenho vontade de fazer nada, estou me forçando a trabalhar, a ir na academia e a postar no blog. Estou com taquicardia, tremedeira e crises de ansiedade. Ondas e mais ondas de pensamentos ruins têm me dominado, e me feito acordar sobressaltada no meio da madrugada. Um medo que eu não sei de que, de onde veio e nem para onde vai, uma insegurança, uma sensação de inadequação, uma vontade de me esconder do mundo... não consigo transcrever em palavras o que está me acometendo, só sei que é ruim demais. Vejo esperança para todas as pessoas, menos para mim, e isso é absurdo.

Eu preciso dar um jeito na minha vida, mas não sei nem por onde começar, para ser bem sincera. Enquanto todas as pessoas normais se retorcem na cama por motivos reais, eu continuo brigando comigo mesma, com os meus próprios pensamentos. Às vezes tenho a impressão de que vou enlouquecer, tamanho é o sentimento de desesperança que se apodera de mim.

Tenho uma vida inteira pela frente, um filho lindo para criar e preciso parar com isso. Sei que logo vai passar, o problema é que essas crises existenciais têm se tornado mais frequentes do que o normal, e isso está me incomodando profundamente.

Estou com medo de existir, medo de ser quem eu sou, medo de deixar o velho partir por não saber o que virpa no seu lugar. Medo de mim, medo da minha vida, medo do futuro.
Será que estou enlouquecendo? Não leiam esse post duas vezes, pode ser prejudicial para a saúde mental de vocês...rsrsrsrsrs

Desculpem, meninas, mas transparência é minha maior qualidade e também o meu maior defeito. Escrevo aqui os meus mais profundos e ocultos sentimentos, e, infelizmente, hoje são estes.

Tenham um excelente final de semana!

Beijos...