Objetivo

quarta-feira, 31 de março de 2010

Confusão de sentimentos

Eu preciso muito ouvir palavras de amor sussurradas no meu ouvido
Para não me esquecer do quanto o amor pode ser uma coisa boa
O silêncio tem tomado conta da minha vida
E eu, que sempre fui acostumada a muito barulho, não estou conseguindo lidar com a brusca mudança de ambiente
Os sonhos que sempre sonhei estão todos mortos
A esperança que eu tinha me escapa pelos dedos todas as manhãs
Eu já não sei o que fazer e nem o que pensar
Eu já não sei mais quem sou eu e o que quero da vida
Eu queria respostas para minhas perguntas
Mas a única pessoa que pode respondê-las sou eu mesma
O problema é que sou confusa demais para fazer isso...
Como posso, então, encontrar a felicidade dentro de mim?

terça-feira, 30 de março de 2010

Desafio - 23º Dia


Olha, hoje eu nem quero falar de dieta, porque eu já comecei o dia fazendo tudo errado, comendo demais (para variar, como sempre nos últimos dias rs).
Além disso, estou com um sono do caramba, uma preguiça enorme e vontade de fazer nada, bem em clima de feriado já.
Vou trabalhar um pouco, para ver se desperto.
Não desisti do meu sonho de emagrecer, não, apenas preciso me reorganizar, mas não agora, neste instante. A cabeça e os sentimentos estão meio confusos, não sei direito o que pensar, preciso de um tempo. Um tempo para esquecer de tudo e pensar só em mim, um tempo para me cuidar e me amar.

Amanhã estou de volta.

Bjus

segunda-feira, 29 de março de 2010

Desafio - 22º Dia

Café da Manhã
1 maçã
1 banana
1 xícara de chá mate com adoçante

Lanche da Manhã

1 fatia de melancia

Almoço

1 cenoura crua ralada
1 omelete: 2 ovos, 1 fatia de blanquet de peru, 1 fatia de mussarela, tomate e cebola
1 caixinha de suco Ades sabor laranja

1 barrinha de cereal Trio mousse de chocolate

Lanche da Tarde
1 pão de queijo
1 lata de coca-cola light plus

Jantar
1 sanduíche:
1 fatia de mussarela, 1 fatia de blanquet de peru e 2 colheres de sopa de cenoura ralada

1 fatia de melão


Partindo para a operação "8 quilos em 1 mês". Eu fiz uma aposta comigo de que no dia 29 de abril de 2010 estarei pesando 8 quilos a menos do que estou agora, ou seja, 69,6 kg. Percebi que o tempo passa rápido pra caramba, por isso nem vou sentir. Quando perceber, já estou no final de abril, sentindo meu corpo um pouco mais leve. Possível, é. Basta querer.
E vamos nessa!

Desafio - 20º e 21º Dias

No fim de semana está sendo realmente muito difícil segurar a barra, confesso. De uns dias para cá, estou desconfiando que a depressão está me rondando novamente, querendo me atacar de sobressalto. E, infelizmente, ainda "como" meus sentimentos, não aprendi a sair desse círculo vicioso.
Conheço pessoas que emagrecem quando estão tristes, mas esse não é o meu caso, infelizmente. Sempre que estou triste e frustrada engordo, porque eu como para esquecer a dor.
Acho que já é o terceiro fim de semana seguinte que escrevo praticamente a mesma coisa. Sei que pode parecer desculpa esfarrapada para justificar uma comilança exagerada, e eu realmente gostaria que fosse mesmo, mas, infelizmente, meu relacionamento com a comida é muito mais doentio do que se pode imaginar: a maldita compulsão alimentar está impregnada em mim, e livrar-se das garras dela tem sido tarefa cada vez mais difícil.
Eu tive um fim de semana bem confuso e estressante, e isso contribuiu muito para eu ter comido tanto e descontroladamente. Os problemas com meu filho já estão se iniciando, e eu acho muito cedo para isso. Ele simplesmente não me obedece, mexe em tudo o que vê pela frente, faz escândalos em supermercados, chora sem motivo, não dorme durante o dia e, às vezes, nem durante a noite, e fica o tempo inteiro agarrado na minhas pernas gritando.
Sei que ele não tem culpa da vida que levo e, como sempre joga na cara minha mãe, fui eu que "escolhi" engravidar, mas eu tenho uma semana muito atribulada, acordo cedo, trabalho oito horas por dia, emendo com a faculdade, tenho um monte de trabalhos para entregar, me estresso a semana inteirinha, então, o que eu espero do fim de semana, como todo e qualquer mortal? Descanso. Mas parece que o fim de semana é pior que a semana inteira, fico ainda mais cansada.
Amo demais o meu filho, ele é a luz da minha vida, não consigo mais imaginar um segundo sequer da minha existência sem a sua presença, mas confesso que as mães solteiras têm que fazer um esforço triplicado para não desanimarem e jogarem tudo para o alto, porque é extremamente ruim não ter um pai com quem dividir as alegrias e dificuldades de um dia. Sei que o pai do Rhian é presente e participativo o quanto pode (ou quer, não sei), mas não é a mesma coisa. Quem passa por todas as noites difíceis, sem exceção, sou eu, quem passa o final de semana inteiro confinada dentro de casa cuidando dele sou eu, quem aguenta as birras, as manhas, as teimosias e os choros sem razão sou eu, quem mal tem tempo para respirar sou eu! Queria ter com quem dividir as responsabilidades diariamente. Queria ter um colo para me aconchegar no fim do dia e me dizer que tudo vai ficar bem, que é só uma fase da criança e que vai passar. Queria ter alguém para me livrar da minha solidão, porque, sim, eu também me sinto sozinha, ao contrário do que todas as pessoas pensam.
Eu dou toda a atenção possível para o meu filho, mas no fim do dia, quando vou deitar, não tenho ninguém a quem contar sobre o meu dia, sobre as minhas angústias e vitórias. Infelizmente, ser mãe não nos exime do papel de ser mulher, e, sim, eu sinto falta de ter alguém com quem dividir a vida!
Há algum tempo eu já não sei mais o que é sentir a alegria do amor, as borboletas no estômago. O amor só tem me causado dor e problemas, e eu tenho me visto, cada dia que passa, tornando-me uma pessoa amarga e descrente. Porque a mim, sempre, só sobram os problemas. Não sei dizer se é uma falha minha, se é a força do meu pensamento, mas tudo de ruim acontece sempre comigo! Tudo na minha vida tem que ser mais difícil. Até a felicidade na minha vida não é tão clara assim, eu preciso desvendá-la, retirá-la do meio dos escombros da dor.
A vontade é de desistir de tudo, e eu não penso nisso só de vez em quando, não, eu namoro essa ideia sempre. O que me faz seguir é a força que meu filho me traz, ele é o que me move, o que me faz viver, apesar das adversidades. Mas é muito difícil viver quando não se sabe qual o caminho a seguir...
Desculpem o desabafo. Minha orgia alimentícia do fim de semana não teve resultados tão catastróficos, pois, por mais uma semana, fiquei no empate técnico: não engordei, nem emagreci.

Seguindo...

Desafio - 19º Dia

Cardápio do dia 26.03

Café da Manhã
1 xícara de leite desnatado com café e adoçante
1 pão de leite com
1 colher de chá de requeijão

Almoço

2 colheres de sopa de maionese
Cenoura crua ralada
2 colheres de sopa de arroz
1 filé de frango grelhado
3 colheres de sopa de camarão frito (não resisti! rs)
1 taça de gelatina
1 lata de coca-cola zero açúcar
1 barra de cereal

Jantar

1 pão de leite
1 salsicha
1 copo de tang sabor limão

sexta-feira, 26 de março de 2010

Me diz, como?

Como eu posso continuar negando uma coisa que é tão presente e tão real dentro de mim?
Eu te amo.
A vida me escapa pelos dedos longe de você.
Nada que eu faça tem tando sentido se você não estiver comigo.
Tenho me enganado por todos esses anos, fingindo que não vejo e que não sinto, mas você sabe que é tudo um teatro
Você me conhece pelo olhar, você sabe tudo de mim
Você está vendo que o sentimento em mim ainda não morreu.
Eu achei que já não sabia mais falar de amor
Mas cada vez que você me toca, reacende a paixão escondida dentro de mim
Eu te amo demais, sempre amei
E tenho a impressão de que nunca vou deixar de amar
Porque não importa quanto tempo passe ou com quem eu me envolva
Meu primeiro e último pensamento do dia são sempre seus
Não consigo apagar a sua presença da minha vida
Não consigo dizer não, porque eu te quero comigo de qualquer jeito
Mesmo que seja somente como um amigo
Porque a sua presença me faz bem, alegra meu coração
Preenche um pouco do vazio que ficou desde o dia em que nosso amor acabou
Você foi o grande amor da minha vida
E eu simplesmente não sei como esquecer e aceitar a verdade
Eu só queria que meus sonhos se tornassem reais...

quinta-feira, 25 de março de 2010

Desafio - 18º Dia - E perfeitinho!

Café da Manhã
5 torradas integrais
1 Corpus sabor morango

Lanche da Manhã
1 maçã

Almoço
1 pizza de pão sírio:
1 pão sírio
1 colher de sopa de molho de tomate
3 colheres de sopa de atum light
1 fatia de mussarela

Para beber:
1 lata de suco Su Fresh sabor laranja

Sobremesa
1 barra de cereal Nutry sabor brigadeiro

Lanche da Tarde
1 bombom meio amargo

Jantar
1 Sanduíche:
2 fatias de pão de forma integral
1 fatia de mussarela
2 colheres de sopa de cenoura crua ralada
1 folha de alface

Sobremesa
1 barra de ceral Nutry sabor cookies & cream

Ceia
2 torradas salgadas

Exercícios Físicos
10 minutos de bike
20 minutos de esteira
30 minutos de musculação
(e um cansaço do caramba! rs)



E depois do desabafo de ontem...
Sim, estou melhor, com as ideias no lugar novamente. O desânimo vem para todo mundo de vez em quando, o que não posso é me deixar abater por ele. O dia está sendo tranquilo, estou me alimentando bem e corretamente, e espero continuar assim agora até o fim de desafio, porque tem muito peso ainda para expulsar desse corpo!

quarta-feira, 24 de março de 2010

Desafio - 17º Dia

O que está acontecendo comigo? Cadê a minha motivação, a minha força de vontade, o meu empenho? Não estou mais conseguindo me concentrar na minha reeducação aliementar, ando muito nervosa por esses dias e tenho descontado tudo, tudo mesmo na comida.
Estou muito triste, pois não estou conseguindo me controlar. Estou me sentindo desmotivada, sem objetivo, sem chão... sei lá.
Enjoei de fazer dieta. Enjoei daquelas comidas todas naturais e saudáveis, de ficar contando calorias, fazendo marmitinha light... enfim... não sei direito o que quero da vida, mas uma certeza eu tenho: não é ser gorda. Por isso, espero as melhoras logo mais.
Preciso realinhar minhas ideias, reorganizar meus sentimentos, reescrever minhas metas e objetivos e saber onde eu quero chegar exatamente.
Às vezes tenho a impressão de que uso meu peso como um escudo para me defender das situações que não quero aceitar, e talvez emagrecer me obrigue a me confrontar com tais situações, e, inconscientemente, eu não quero isso.
Gostaria de me sentir feliz com alguma outra coisa que não fosse comendo e nem me apaixonando pelas pessoas erradas.
Confesso que estou bem cansada da minha vida, da falta de novidades, de tudo dando errado ao mesmo tempo, de não ter para onde ir e nem o que fazer... tô cansada de tudo, e minha maior preocupação é que esse desabafo não é uma TPM, mas é algo que já vem me acompanhando há muito tempo.
Acho melhor parar essa conversa por aqui, pois não vai me levar a lugar nenhum. Amanhã, com certeza, estarei melhor. Não vou abandonar meu sonho de ser magra, mesmo que eu precise cair e levantar mil vezes, estou disposta a isso. Só preciso reencontrar essa disposição dentro de mim.
Um bom prato de arroz, feijão, salada, bife à parmegiana e batata-frita "curaram" minha ansiedade, acompanhados de um brigadeiro como sobremesa.

Sem comentários. Vergonha de mim...

Exercícios Físicos
30 minutos de caminhada na esteira
30 minutos de musculação
40 minutos de caminhada na rua

...Meu riso é tão feliz contigo...

Antes de ser mãe, eu achava engraçadíssimo ver mulheres contando as peripécias de seus filhos aos colegas de trabalho, ou falando ao telefone, com vozinha infantil, com um bebê que mal sabe seu nome. Eu até debochava, sabe. Dizia que mãe é tudo igual e blá, blá, blá. Numa coisa eu não errei: são todas iguais mesmo.
Diariamente, me vejo contando as proezas do Rhian para todo mundo, é no trabalho, na faculdade, na roda de amigos, para os parentes mais distantes no telefone. Ontem mesmo, enquanto meu chefe estava na sala ao lado, liguei para minha mãe para saber como estavam as coisas, e ela colocou-o na linha para falar comigo.
Confesso que, a princípio, fiquei um pouco constrangida, pois, com certeza, meu chefe e o outro professor que estava na sala, ouviriam a conversa e achariam engraçado, mas eu jamais deixaria meu bebê falando (sim, ele tem só 1 ano e 1 mês, mas já fala coisa pra caramba!) sozinho.
Comecei a “conversar” com ele, tentando evitar a voz infantil, para não despertar a atenção de ninguém, mas não resisti: comecei a falar que nem criancinha! Ele nada disse, segundo minha mãe, ficou apenas ouvindo e dando risada. Assim que minha mãe tirou o fone de perto dele, ouvi sua vozinha dizer: “Alô... mamãe!”.
E, sim, meu coração se encheu de alegria, porque, de repente, eu me lembrei que, em meio a um turbilhão de problemas, há a doce presença do meu filho, que, desde que nasceu, transforma qualquer lágrima em sorriso, qualquer tristeza em felicidade.
A inocência dele ainda me faz acreditar em um mundo melhor, embora o que eu veja o tempo todo seja podridão e superficialidade.
Um sorriso que me faz sorrir também. Quando estou com ele, nada mais importa. Eu me esqueço dos problemas. Eu me sinto em paz.

Sou igualzinha a todas as outras mães das quais eu sempre debochava antes de ser mãe: FELIZ.

Desafio - 16º Dia

Cardápio do dia 23.03

Café da Manhã
1 pão com manteiga na chapa
1 iogurte Corpus light de frutas

Almoço
1 pizza de pão sírio com cheddar
1 lata de chá verde sabor gengibre com laranja
1 Tortuguita
Obs.: hoje fiz uma descoberta incrível: queijo cheddar não combina, de jeito nenhum, com atum! Argh! Tô com nojo da gororoba que eu comi até agora! rs

Lanche da Tarde
1 pão de batata quatro queijos
1 fatia generosa de bolo de cenoura

Jantar
1 cheese salada, acompanhado de fritas e coca-cola zero...rs
1 brigadeiro

Exercícios Físicos
30 minutos de caminhada na esteira
30 minutos de musculação

Já comecei a academia ontem mesmo, e estou bem cansadinha...rs além de estar meio sem ritmo, não sou fã de musculação, por isso estou estranhando um pouco. Eu disse que meu objetivo no treino é emagrecimento, mas a avaliadora insistiu que a musculação tem que estar presente mesmo assim, e quem sou eu para contestar? Não estudei educação física...rs
Pois é, enfiei o pé na jaca mesmo, assumo! Como tomei a decisão de voltar a levar as coisas bem a sério novamente, resolvi fazer aquela "despedida" básica das porcarias (mas, olha, fazia tempo que eu não comia batata frita, hein!).

E bola pra frente, que agora é pra valer!

terça-feira, 23 de março de 2010

Avaliação Física e a Revelação

Hoje fui fazer a avaliação física para ingressar na academia, e descobri que aquele post "Continha Absurda" que eu fiz, faz muito mais sentido do que eu imaginava. Sim, eu realmente tenho 37% de gordura no meu corpo, e o ideal está entre 20 e 25%. Em outras palavras, tem gordura pra caramba pra queimar neste corpitcho! rs
Até aí, nenhuma novidade, tenho espelho em casa, né? Sei o quanto comi para chegar a essa situação lastimável, e digo que estou muito feliz, porque a avaliação poderia ter sido pior se eu a tivesse feito quando estava com 11 quilos a mais do que estou hoje.
A surpresa mesmo foi a pregada em mim pela minha balança analógica, a qual tem me acompanhado desde o primeiro dia em que tomei a decisão de emagrecer.
Ela apresenta um erro absurdo de 2,6 kg. para menos! Eu já tinha notado isso, pois quando me pesei para iniciar o processo de emagrecimento, o peso foi bem diferente daquele dado na farmácia, na balança digital, mas imaginei que a diferença tinha a ver com a roupa que eu estava usando, com o sapato, com o almoço que eu tinha acabado de fazer, enfim... mas, não. Hoje eu descobri que realmente fui enganada este tempo todo por ela - a maldita balança!
Por isso, tudo mudou agora. Estou corrigindo o peso, tanto aqui no meu blog quanto no blog do desafio (pedi essa gentileza ao Diego), porque quero trabalhar com meus números reais, não ter que ficar fazendo reduções na calculadora para postar aqui.

Peso Inicial (12/01/2010): 88,6
Peso Atual (23/03/2010): 77,6

Não muda muita coisa, afinal, emagreci 11 quilos mesmo, isso não é enganação. O que muda, é que aumentaram 2,6kg. para o meu objetivo final (ao invés de perder 32 kg., terei que perder 34,6kg.), mas tudo bem. O que são 2,6 kg. para quem está com obesidade grau I e precisa perder mais de 30? rs
Quero esclarecer que não é uma falha minha, e sim da maldita balança analógica, mas eu estou corrigindo por uma questão de honestidade comigo mesma.
E a luta continua! Hoje começam meus treinos na academia!

segunda-feira, 22 de março de 2010

Como Esquecer?

"Como esquecer o seu olhar
Se não é meu, pra quê lembrar?
Tento esquecer, é impossível
Foi sem querer
Imprevisível..."
(Edson e Hudon / Bruno e Marrone - Imprevisível)

Desafio - 15º Dia

Café da Manhã
300 ml. de leite desnatado batido com
3 colheres de sopa de shake Viver sabor baunilha

Lanche da Manhã

4 cookies integrais light sabor coco

Almoço

1/2 cenoura ralada temperada com vinagre e sal
2 canelones de presunto e mussarela, com molho de carne moída
1 bombom Sonho de Valsa

Lanche da Tarde

7 cookies integrais light sabor coco

Jantar
1 lanche natural Cammini de peito de peru com tomate seco
1 garrafa (600 ml.) de Guaraná light

1 sobremesa de chocolate

O dia foi bem comportado... até eu chegar em casa! Fui atacada pela compulsão alimentar, comi demais, fui dormir até me sentindo mal, tanto fisicamente quanto psicologicamente. Como posso me deixar vencer pela comida desse jeito? Tristeza...

Pesagem - Desafio Quero Sair Perdendo

Finalmente vou poder alterar a minha régua de emagrecimento, depois de quase duas semanas no zero a zero - nem ganhando, nem perdendo...rs
Realmente, não sei explicar como cheguei a esse resultado, porque, em alguns dias saí bastante do ritmo, e eu sinceramente achei que isso prejudicaria muito meu desempenho na balança. Mas, graças a Deus, me enganei.
Não foi o resultado que eu esperava, confesso. Eu queria ter eliminado 2 quilos nesta primeira pesagem do desafio, mas não consegui simplesmente porque não fiz por onde.
Se eu ficar aqui escrevendo sobre o quanto tenho me esforçado para emagrecer e não tenho visto os resultados, certamente vou estar mentindo. Com certeza existem pessoas que, por mais esforços que façam, não conseguem uma perda de peso efetiva, porque tem outros problemas de saúde, mas este não é o meu caso. Não emagreci a quantidade que estimei porque "não quis" (leia-se: porque não tive força de vontade e capacidade de fechar a boca suficientes rs).
Mas, aos que acham que isso é uma reclamação, já vou corrigi-los logo de incío: estou felicíssima, proque mesmo comendo desregradamente em alguns dias, eu ainda consegui emagrecer 1 quilo nestas duas semanas que se passaram, ou seja, no momento, meu peso é 75 kg., 2 quilos a menos do que quando engravidei.
Para mim, perder meio quilo por semana é pouco, afinal, ainda sou jovem, tenho um metabolismo bom e já consegui perder até 3 quilos em uma única semana, mas hoje eu tenho um pensamento um pouco diferente: antes pouco do que nada. Para quem briga com a balança o tempo todo, até ficar no zero a zero já é motivo de comemoração, pois poderíamos perfeitamente estar vivendo como no passado, sempre engordando, mas escolhemos mudar hábitos e travar uma luta insana com a balança.
Minha meta de perder 10 quilos até o final do desafio não será alterada. Eu que me vire, perca mais de 2 quilos por semana, sei lá, mas a meta é essa. Se não atingir, fazer o quê? Não vou me matar, mas vou me esforçar. Qualquer quilo eliminado já me faz sair no lucro.


Desafio - 13º e 14º dias - fim de semana!

Ok, já devo começar esse post informando que, se estou tratando de dois dias num texto só, é porque significa que não segui a dieta como deveria. Eu admito, fazer o que, né? rs
Não que eu tenha me acabado de comer... bom, para dizer a verdade eu comi muito, sim, mas não o dia inteiro, por isso acho que uma refeição mal feita acabou compensando uma refeição bem feita, por isso não engordei (sei que isso é errado, mas já tás feito, né? rs).
Exercícios físicos? Oi? O que é isso? Passar roupa pode ser considerado exercício físico? Não? Bom, então não passei nem perto de tê-los feito nesse final de semana...
O que eu posso fazer se comer é tão bom e eu ainda não aprendi a me controlar? Sei que ando perdendo o foco, claro que já melhorei bastante em relação ao que estava na primeira semana do desafio, mas, mesmo assim, não tenho achado que seja o suficiente. Preciso me dedicar mais. Preciso querer mais. Será que eu quero passar mais um aniversário gorda? Será que eu quero me formar na faculdade gorda, tendo dificuldades em encontrar um vestido que eu goste e caiba em mim? Será que eu quero continuar levando uma vida repleta dos problemas que todos os gordos enfrentam todos os dias? NÃO! Não mais. Nunca mais.
Querer eu quero, mas, sei lá, parece que quando a gente começa a perder um pesinho, receber elogios e ver as roupas ficarem folgadas, ao invés de ter mais motivação para continuar, dá uma relaxada... estranho, não?
Confesso que depois da festa do meu filho (que era a minha primeira meta de emagrecimento) eu dei uma desanimada, acho que não consegui traçar uma outra meta que eu realmente queira atingir.
Mas não posso reclamar, não, afinal, os resultados não foram catastróficos...rs
Pessoas ansiosas e imediatistas como eu têm mais dificuldades ao longo do processo de emagrecimento porque, ao mesmo tempo que querem resultados rápidos, a luta para resistir à tentação da compulsão alimentar é muito árdua e, às vezes, inútil. Eu continuo admitindo que eu como para aliviar as tensões e frustrações do meu dia, da minha vida. Ainda não aprendi a lidar com esse problema, embora ele já tenha diminuído significativamente.
O fim de semana teve pizza, coca-cola, canelone, brigadeiro, cookies, mas também teve shake, salada e porções reduzidas, por isso, não posso dizer que eu pulei do barco. O desejo de emagrecer ainda está em mim, e eu vou continuar lutando.
Vou usar minha persistência para a minha própria vida. Caiu? Levanta, bate a poeira e bola pra frente. Nada vem de graça e nem tão fácil assim. Eu já sabia que o caminho é longo e difícil.

Continuando...

sexta-feira, 19 de março de 2010

Reconhecimento é bom demais!

Nem só de dinheiro vive o homem, mas também do reconhecimento público de seus esforços e trabalho - eu penso dessa forma, por isso estou muito feliz vir recebendo diversos elogios por conta da palestra que secretariei na quinta-feira no meu trabalho, que teve um público de 145 pessoas, o maior em dez anos de GIAQ e, claro, o maior que já atraí e cuidei desde que comecei a trabalhar na Universidade, quase 4 anos atrás.
É muito gratificante ver os frutos do nosso trabalho, porque, por detrás daquela palestra que ocorre todo mês, tem um trabalho imenso e complicado de logística, de atendimento, de resposta de emails, de preparação de estrutura que ninguém vê, mas que se não ocorresse, não haveria palestra alguma.
Elogios são sempre bem-vindos, fazem bem ao ego, a autoestima e nos deixam mais motivados a fazer sempre mais e melhor.
Acho que cheguei naquela parte da pirâmide de Maslow que preciso atender as minhas necessidades de reconhecimento...rsrsrsrsrsrs


(olha o naipe da pessoa no dia da palestra rs)

Obs.: preciso contratar um fotógrafo particular, não aguento mais tirar essas fotos em frente o espelho...huahuahuahua

Desafio - 12º Dia

Combinei comigo mesma que hoje, sábado e domingo vou radicalizar geral! Shake manhã e noite e salada com grelhado no almoço, quero ver se elimino pelo menos mais um quilo até segunda-feira. A balança hoje deu sinal de vida, apontou a perda de um quilo, espero que o resultado se confirme e eu consiga, ainda, fechar essa segunda semana de desafio com 2 quilos a menos. Quero fazer bonito, né? Pode não ser uma atuação digna dos prêmios, mas que seja, ao menos, digna rsrsrsrsrs

Café da Manhã
300 ml. de leite desnatado batido com
3 colheres de sopa de shake Viver sabor chocolate

Lanche da Manhã
1 maçã (milagre!)
1 maxi goiabinha Bauducco

Almoço
Saladão:
Alface, cenoura ralada, tomate, pepino, ervilha, milho e queijo branco em cubinhos
1 filé de frango grelhado
1 lata de chá verde sabor gengibre e laranja
1 mini-Talento intense (meio amargo)

Lanche da Tarde
7 biscoitos integrais light sabor coco

Jantar
Lanche natural:
2 fatias de pão de forma integral
1 fatia de queijo branco
1 fatia de peito de peru defumado
2 folhas de alface
1 rodela de tomate

Para beber:
1 lata de coca-cola zero açúcar

Ceia
1 flan de morango

Exercícios Físicos
40 minutos de caminhada

quinta-feira, 18 de março de 2010

Continha absurda

Hoje, a caminho do trabalho e sem nada mais interessante para fazer (afinal, estava dentro de um busão! rs), estava me lembrando de uma matéria que li certa vez, a qual dizia para iniciarmos a perda de peso com uma meta de 10% do nosso peso inicial, e perceber o quanto nos sentimos melhores com essa pequena redução (exemplo: eu pesava 86 kg. - 10% disso = -8,6 kg. na balança).
Até o momento, eu eliminei 10 quilos, e confesso que o raciocínio é verdadeiro. Uma redução de 10% do nosso peso inicial já faz uma diferença monstruosa, na balança e na autoestima.
Mas eu não parei o raciocínio por aí... o seguinte pensamento começou a pairar pela minha cabeça: qual a porcentagem de peso que preciso eliminar para chegar ao meu peso ideal (54 kg)?
Vamos à continha que eu fiz no busão (regrinha de três básica, aprendemos na 3ª série): 86 kg. = 100%, então... 54 kg. = 62,8%. 100% - 62,8% = 37,2%
EU PRECISO ELIMINAR 37,2% DO MEU PESO!Cara, isso significa que 37,2% do meu corpo não serve para nada, só para fazer peso na minha coluna! Fiquei chocada em pensar que quase 40% do peso que carrego é inútil.
Bom, então fiz a conta de quanto desses 37,2% eu já eliminei: 11,6%. Ainda falta eliminar 25,6% do meu peso, em outras palavras, 22 quilos. Não sei por que, de repente me deu um medo... eu sei que muita gente dos blogs lights já perdeu muito mais do que isso, mas 22 kg. é quilo pra caramba, e, às vezes, tenho a impressão de que não vou conseguir chegar tão longe!
Para completar a m..., acabei de devorar um super brigadeiro de 300 calorias! OK, eu deveria ter resistido, mas não resisti. A lei da compensação existe para isso (rs)! Nem que esteja nevando lá fora, hoje a caminhada vai ter que rolar. Além disso, levei em consideração que hoje não tomei café direito, não fiz meus lanches da manhã e da tarde e no almoço comi comportadamente, por isso tenho umas calorias sobrando para matar um desejo que surgiu.
Acho que eu preciso urgentemente retomar aquele ritmo do shake substituto de manhã e a noite, mas, além de estar um pouco enjoada desse tipo de alimentação, a marca de shake que eu comprei é ruim demais, o que torna as coisas ainda mais difíceis.
Estou apavorada com a ideia de não emagrecer nada até segunda-feira, e isso, ao invés de me motivar a fazer tudo dentro dos conformes, está me deixando ainda mais ansiosa.
Que saco, viu! De repente me estressei...

Esse é o caminho!

CB Sangue Bom
(Marcelo D2)


A vida é um eterno perde e ganha
Um dia a gente perde
Num outro a gente apanha e apanha
E nem por isso a gente vai fugir da luta
Num vou abaixar a cabeça pra nenhum filho da puta
As pedras no caminho a gente chuta
É super natural
Não deixo abaixar minha moral
Tenho que me manter em movimento
A vida não é mole, mas qualquer parada enfrento, enfrento
Tão louco você pensa que está
E se é que está
Tão louco você pode ficar
Se a vida não é do jeito que se quis
A ideia é procurar o caminho que te deixa feliz
Ficar do lado do bem, eu fico também
Se o papo for atitude não tem pra ninguém
A questão aqui é o sangue bom é quem
Se a felicidade tá numa nota de cem

(...)

Do lado de cá faço a conexão
Do lado de lá só pinta sangue bom
Eu chego no fim do caminho nem que vá a pé
Então me diga com que andas e te direi quem é

(...)

Felicidade

Bom, tenho uma coisa boa e uma coisa ruim para contar. Lembram que eu havia dito algo sobre ter engordado 1 quilo essa semana, depois eu liguei o desconfiômetro e imaginei que fosse por causa da "visita desagradável" do mês? Pois é, minha intuição estava correta. Subi na balança hoje e, tcharammmm, o tal quilo indesejável não estava mais lá!
Agora, vem a parte ruim: meu peso continua 76 quilos, ou seja, até o momento, não emagreci um graminha sequer! E o desafio está aí, estou com medo de pagar um micão segunda-feira, no dia da pesagem.
Emagrecer é uma jornada longa e difícil, e como em tudo o que é difícil na vida, às vezes bate aquela vontade de desistir de tudo, comer um monte de porcarias e aceitar meu corpo gordo e os problemas de saúde que vêm junto com ele. Mas, de repente, eu paro por um instante e penso o seguinte: se não sou capaz de controlar meu próprio corpo, sou capaz de que? Então, esfrio a cabeça e sigo o caminho. O caminho é doloroso, quem gosta muito de comer sabe do que estou falando, mas a recompensa é tão grande e valiosa que o esforço vale a pena.
Eu parar para pensar antes de comer já é um grande avanço, pois antes eu não queria nem saber. Comia o que desse na telha, depois colocava a culpa na ansiedade, no meu chefe, nos trabalhos da faculdade, no meu filho, na minha mãe, no meu cachorro... como todo gordinho que não quer admitir sua compulsão que se preze!
Eu não queria enxergar a realidade de que quem coloca comida na minha boca sou eu mesma, portanto, posso fazer escolhas todos os dias. Mas eu não queria ver que estava escolhendo o pior porque não me amava. Era mais cômodo colocar a culpa nos outros e continuar fazendo tudo errado, mas tendo um álibe.
Confesso que o susto foi bem grande quando vi as fotos de fim de ano, pois eu não tinha a dimensão do quão gorda estava. Parece que a gente cria um bloqueio mental para não enxergar o que o espelho e as pessoas estão nos denunciando.
Comecei o processo de emagrecimento por causa da festa de aniversário de 1 ano do meu filho, mas não acreditava que fosse conseguir muitos resultados. Resolvi postar esse processo no meu blog, em busca de conhecer e interagir com outras pessoas que passam / já passaram pela mesma situação que eu, para aumentar a motivação, e confesso que foi muito gratificante poder comprar roupas 1 número a menos para a festa e ouvir as pessoas falando a respeito do quanto eu estava diferente, mais bonita, mais alegre. Muitas pessoas não conseguiram definir que eram 9 quilos a menos que estavam fazendo a diferença no meu corpo, mas, como podemos perceber, emagrecer faz uma mudança geral em nossas vidas e atitudes, não só no corpo.
Nunca na vida eu havia pintado as unhas dos pés de cores escuras; hoje já me dou esse luxo, e gosto de mostrá-las com sandálias e sapatos abertos na região dos dedos. Eu não usava maquiagem; hoje já me permito mostrar um rosto mais corado e alegre. Vestidos? Nem sabia mais o que era isso, estavam todos aposentados na minha gaveta, até eu decidir que agora sou uma nova mulher. Um dos meus últimos mimos? Um vestido acima do joelho, bege, tamanho M. Uma roupa que eu jamais usaria no passado, e sabe por que? Porque no passado, eu não me amava o suficiente para saber que eu mereço ser feliz, que eu posso me vestir como todas as outras pessoas do mundo, que nem todos os olhares maldosos e risadinhas são para mim, e que se forem, também, que se dane, ninguém paga minhas contas para cuidar da minha vida!
Gordo também é gente, e merece respeito. Eu ainda estou gorda? Sim, mas isso não me impede de ser feliz hoje, agora, do meu jeito.
Hoje posso dizer que sou muito mais feliz, porque eu me permito ser eu mesma. Não importa o que os outros pensem a respeito disso.

Respeitar as diferenças é essencial!

Desafio - 11º Dia

Café da Manhã
3 torradas
1/2 copo de leite desnatado com 1 colher de sopa de achocolatado

Lanche da Manhã

1 torrada

Almoço
Salada de alface, cenoura, tomate e pepino
1 panqueca de carne moída

1 lata de coca-cola zero açúcar
1 barrinha de cereal Trio sabor musse de chocolate

Lanche da Tarde
1 brigadeiro grande (pqp! não resisti)

Jantar
Sanduíche:

2 fatias de pão de forma
1/4 lata de atum em água
1 colher de sopa de maionese sabor limão
1 lata de Ice Tea light sabor limão

Exercícios Físicos
40 minutos de caminhada


Correria total hoje, tive que acordar mais cedo, pois precisava me apresentar para o trabalho hoje às 7h30, secretariei uma palestra com mais de 140 participantes (a primeira com tanta gente desde que comecei a trabalhar nessa área, 4 anos atrás), por isso a alimentação ficou em segundo plano. Mas estou seguindo à risca a dieta (tirando o fato de não ter comido fruta nem um dia dessa semana! rs).

quarta-feira, 17 de março de 2010

Desafio - 10º Dia

Café da Manhã
1 esfiha de carne
1 lata de chá verde sabor laranja com gengibre

Lanche da Manhã

4 biscoitos integrais light sabor coco

Almoço
Salada de alface e cenoura ralada
2 colheres de sopa de maionese

2 colheres de sopa de couve refogada
2 colheres de sopa de arroz com legumes grelhados
1 filé de frango grelhado
1 colher de sopa de mexido de espinafre e ovo
1 taça de gelatina

1 copo de coca-cola zero açúcar
1 barrinha Trio sabor musse de coco
(parece muita coisa, né? rs)

Lanche da Tarde

7 biscoitos integrais light sabor coco

Jantar

1 lanche natural Cammini sabor peito de peru com tomate seco
1 lata de coca-cola zero açúcar

Lanche da Noite
1 maxi chocolate Bauducco

terça-feira, 16 de março de 2010

Selinho

Olha que selinho mais fofo que eu ganhei da minha nova amiga Camila Santiago... muito obrigada! É o primeiro selinho que eu ganho! Fiquei muito feliz!

Regras do Selinho ....
Responder às questões abaixo e dedicá-lo a 10 amigas,e ir no blog delas avisa las... rs

1) Qual o perfume que usam/recomendam?
R.: Tarsila e Egeo, ambos do Boticário.

2) Qual o creme de rosto que usam/recomendam?
R.: Nenhum, odeio cremes, principalmente no rosto, por causa da pele extremamente oleosa que tenho...rs

3) Qual o creme anticelulítico/reafirmante que usam/recomendam?
R.: Nenhum de novo... não que eu não tenha celulite (infelizmente eu tenho rs), mas não uso nada.

4) Qual a espuma de cabelo que usam/recomendam?
R.: Pantene.

5) Quais os vossos rituais de beleza matinais?
R.: Gostaria muito de ter isso, mas acordo muito cedo e se eu conseguir pentear o cabelo já um grande feito rsrsrsrsrs filho pequeno, muito trabalho e faculdade ao mesmo tempo dá nisso...rsrsrsrsrsrs

Amigas para indicar... bom, são tão novinha nessa onda de blogs light que confesso que não conheço quase ninguém... rs posso pensar antes?

Esperança

Pois é, andei constatando que pode ser (e tomara que seja mesmo! rs) que o quilo engordado que apareceu na minha balança seja, na verdade, inchaço causado pela visita desagradável que chegou essa semana, mas da qual já venho sentindo os efeitos há quase duas semanas.
A boa do dia é que, finalmente, peguei atestado com o médico do trabalho e agendei minha avaliação física para começar a fazer academia (aqui no meu trabalho é grátis! rs). tudo bem que a data da avaliação ficou meio longe (só dia 23/03), mas enquanto isso eu vou dando sequência às minhas caminhadas.
Quero só ver se esses quilos chatos não vão embora agora! rs

Desafio - 9º Dia

Café da Manhã
300 ml. de leite desnatado batido com
3 colheres de sopa de shake Viver sabor chocolate

Lanche da Manhã

1 maxi goiabinha Bauducco

Almoço

Sanduíche:
2 fatias de pão de forma
1/4 lata de atum em água
1/2 colher de sopa de maionese
2 colheres de sopa de cenoura ralada
Para beber:
1 garrafa de suco X-tapa sabor limonada suiça

Lanche da Tarde
7 biscoitos integrais light sabor coco

Jantar
Sanduíche:

2 fatias de pão de forma
1/4 lata de atum em água
1/2 colher de sopa de maionese
2 colheres de sopa de cenoura ralada

Para beber:

1 lata de Ice Tea Light sabor limão

Sobremesa
1 barrinha de chocolate Kinder Bueno (para não correr o risco de comer a outra barrinha, "presenteei" um amigo da faculdade rs)

Ceia

1 Cookie

Exercícios Físicos

40 minutos de caminhada

segunda-feira, 15 de março de 2010

Lembrete Básico

Quando o desejo de comer vier com força total, por que não lembrar que essa blusa fica mais elegante em mim se as banhas não estiverem saindo pelas laterais? rs
Preciso postar um Antes e Depois todos os dias, para me lembrar do objetivo.
Segunda-feira que vem preciso estar com 3 quilos a menos, 2 para atingir a meta de perder 10 quilos até o final do Desafio e 1 para descontar aquele que eu "ganhei" no fim de semana.

Então, mãos à obra!

Mudanças

As mudanças são necessárias , mas são difíceis demais, pois nos tiram da nossa zona de conforto, nos obrigam a ter que se mexer, a ter que se sentir desconfortável novamente até encontrar uma posição melhor para se adequar. Nada disso é agradável e nem cômodo, mas é essencial.
Não há vitória sem luta. Não há recompensa sem esforço. Não há resultado sem privação. Para ter determinada coisa que se quer muito, é necessário abrir mão de outra que se gosta muito. Não se pode ter tudo. Não é possível abraçar o mundo. Toda escolha envolve uma renúncia.
Mas assim é a vida. Não podemos ficar para sempre parados no mesmo lugar, fazendo as mesmas coisas. É preciso ousar, alçar voos mais altos, ser ambicioso (no bom sentido da palavra). Não dá para ver a vida passando enquanto você fica na janela esperando um milagre, afinal, milagres não existem, o que existe é desejo, luta, persistência, força de vontade e atitude.
Essa hora chegou na minha vida. Começou com as mudanças na minha alimentação e no meu corpo, mas se estenderá a minha vida toda. O momento de cuidar de mim sozinha está cada vez mais próximo, e eu sinto isso. A mudança está batendo à minha porta, e eu preciso me preparar para ela, apesar do medo que estou sentindo.
Os problemas não vão deixar de existir com isso, talvez eles até aumentem. Mas eu quero uma vida para chamar de minha, sem a interferência de ninguém. Meu coração está pedindo isso, chegou a hora de eu crescer de verdade, não somente na idade.
Além disso, acho que é isso que meus pais esperam de mim, principalmente pelas coisas que tenho ouvido ultimamente. Até mesmo nossos pais, que são as pessoas que mais nos amam, podem fazer escolhas que nos surpreendem, porque elas são contra nós e a favor de quem não merece. Sei que nunca fui a filha dos sonhos deles, mas sei também do meu valor e do quanto sou decente e esforçada.
Desde cedo eu aprendi a conviver com a sensação de inadequação, porque foi a minha mãe que me ensinou. Essa coisa de eu sempre achar que sou indesejada vem dela, porque foi o que ela sempre me disse, consciente e inconscientemente, por atos. Há dois dias ela tem me dito coisas muito fortes, que eu não vou esquecer nunca mais, porque tudo o que fiz até agora referente a essa situação terrível pela qual minha família está passando por causa de uma pessoa que não vale o que o gato enterra, foi por amor à minha família.
Mas a vida vem me ensinando que amar não vale a pena, que ser passional só piora as situações.
Eu preciso ter força para seguir meu caminho sozinha, esquecer os sonhos que criei nessa cabeça tão infantil, esquecer o amor não-correspondido que trago dentro do meu coração há tantos anos e seguir a minha vida com o meu filho, dar o melhor de mim para ele para que ele possa dar o seu melhor por si mesmo.
Hoje, mais do que nunca, eu preciso virar a página. Esquecer para lembrar de mim...

Desafio - 8º Dia

Café da Manhã
300 ml. de leite desnatado batido com
3 colheres de sopa de shake Viver sabor baunilha

Almoço

2 fatias de pão de forma
1/2 peito de frango assado desfiado
1 colher de sopa de maionese light sabor limão
2 colheres de sopa de cenoura ralada
1 lata de chá verde sabor laranja e gengibre

1 maxi goiabinha Bauducco

Lanche da Tarde

7 biscoitos integrais light sabor coco

Jantar
1 pão sírio

2 fatias de queijo minas
2 fatias de peito de peru defumado
2 rodelas de tomate
1 folha de alface
1 iogurte Corpus sabor morango

Ceia

1 taça de gelatina light sabor uva
1 "quadradinho" de chocolate Nestlé com avelã

O inimigo dorme ao lado

Sempre que eu sofro uma decepção com alguma pessoa, minha avó me diz que viveu 34 anos ao lado do meu avô e não sabia quem ele era. Hoje compreendo bem suas palavras, e me aprofundo ainda mais no assunto.
Uma menina que nasceu na minha casa, que é parte integrante da nossa família, que foi criada com todo amor, dedicação e carinho possíveis, hoje se vira contra nós. Está irreconhecível. Há uma coisa tão ruim impregnada nela, que respinga nas pessoas que estão próximas, fazendo-as agir de maneira que jamais fariam em sã consciência (eu fui a vítima da vez - enfurecida e fora de mim, fiz aquilo que deveria ter sido feito, mas ninguém fez: dei uns bons bofetes nela! Estou arrependida, confesso, mas na hora não consegui me conter).
Estou muito surpresa em saber que o bebê que peguei no colo 14 anos atrás tornou-se um ser sujo, frio, calculista, chantagista, falso, arrogante e debochado. Mas, conforme minha avó já tinha me alertado, assim é a vida. Nós pensamos que conhecemos as pessoas, nos dedicamos a elas, amamos com todo nosso coração para depois perceber que era tudo um circo, e que nós somos os palhaços.
Conheço muitas pessoas que não se apaixonam porque têm medo de ser enganadas, mas acredite, corremos o risco de ser enganados o tempo todo, dentro e fora de nossas residências, e a traição vinda de uma pessoa do seu círculo familiar dói muito mais.
No meu caso, sim, o inimigo dorme no quarto ao lado, pode estar me espreitando e tramando contra mim, e eu nem fazia ideia disso.
Para mim, ela está morta e enterrada. Quero apagá-la da minha memória, esquecer que um dia ela existiu e cruzou meu caminho.
Meu coração está aos pedaços, pois pessoas como ela, quando entram em nossas vidas, deixam rastros de destruição muito profundos, que demoram anos para cicatrizar. São capazes de acabar com uma família inteira, com sonhos, com desejos e com alegrias.
Quando eu penso que já vi de tudo, algo inusitado surge para me surpreender.
Medo.

Desafio - 6º e 7º dias

Vou falar sobre os dois dias juntos, pois foram igualmente desastrosos. Muitos doces, muito refrigerante, muita pizza, muita esfiha e pouca vergonha na cara.
Nada justifica o que eu estou fazendo, mas o que descobri é que a comida continua, sim, sendo o meu refúgio, e como estou passando por sérios problemas familiares, é explicável que, de repente, eu tenha decidido me jogar na comida como se não houvesse amanhã.
Se a 1ª pesagem do desafio fosse hoje, seria obrigada a amargar a derrota de ter engordado 1 quilo. Sim, engordei. Estou com muita vergonha, muito triste, muito frustrada.
Não sei onde foi parar toda aquela motivação de 2 meses atrás. Minha vida está muito tumultuada, de repente tudo resolveu dar errado, e isso está afetando em todos os setores da minha vida. Eu sei que não deveria permitir isso, mas cadê a força para lutar? Eu não sei.
Eu não vou desistir, porque meu objetivo é muito claro e muito sério, mas confesso que está difícil voltar para a linha.
Eu não quero engordar de novo, muito pelo contrário, quero continuar emagrecendo até chegar aos meus sonhados 54 quilos. Eu preciso conseguir, e só eu posso fazer isso por mim.

"Continue a nadar..."

sexta-feira, 12 de março de 2010

Família

Eu amo a minha demais, e brigo com unhas e dentes por ela. Faço o que for preciso para ver meus pais, meus irmãos e minh avó bem. Não admito que ninguém faça mal a eles. Não quero sequer que alguém de fora faça comentários ruins a respeito deles. Não aceito.
Acontece que a pessoa que lhes está fazendo mal mora debaixo do mesmo teto que nós. Com suas atitudes, está matando aos poucos todas as pessoas da família. A última que ela aprontou, desestruturou toda nossa casa e está rendendo frutos até agora.
Eu tinha visto certeza nos olhos de todos os componentes da minha família em "livrar-se" do problemas, afinal, daqui uns poucos anos ele se tornará ainda maior, mas o que tenho visto nos últimos dias é compaixão, é supervalorização de alguém que não merece, é tentativa de corrigir o incorrigível.
Muitas pessoas da minha família (parentes que não moram conosco) têm dado pitacos em relação à fuga daquela garota que um dia foi minha sobrinha, mas o que tenho a dizer a essas pessoas é bem simples: tá com pena, leva pra casa!
Quem assistiu a tudo de camarote como eu não consegue ter um pingo de dó que seja, porque só quem convive com ela bem de perto sabe a pessoa que ela realmente é. Sabe de seus teatros, de sua manipulação, de suas chantagens, de sua índole.
A única pessoa que estou sentindo ser comovida é minha mãe, que tem o coração maior do que deveria. Mas o engraçado é que quando eu tinha minhas épocas de rebeldia, como ela mesma gosta de frisar sempre que tento tocar no assunto com ela, ela não era tão maleável e compreensiva assim (e olha que eu não fiz 20% do que essa garota fez, hein!).
Acredite, minha mãe está DEFENDENDO ela. Sempre que tento falar sobre o assunto, ela desvia o foco, diz que é coisa de adolescente e que eu já fui assim (eu dou problemas para eles desde os 6 anos de idade? Eu fugi de casa aos 14 anos com um cara? Eu continuei fugindo mesmo depois de saber que meu pai poderia estar sofrendo um princípio de infarto? Eu aprendi a usar gírias de bandidagem para me dirigir a eles? Eu os tratei com deboche e sarcasmo mesmo depois de toda a merda feita? Não para todas as perguntas, portanto, não vem comparar que não tem nada de igual!)
O que eu quero dizer neste post é o seguinte: até quando ela vai viver jogando as coisas na minha cara, mesmo depois de eu ter mudado há muito tempo? Até quando ela vai achar que fui/sou uma filha ruim mesmo depois de ter passado e ainda estar passando por tudo isso com a "neta"?
Gostaria de ter meu valor reconhecido, pelo menos pelos meus pais, que são a base da minha vida. Mas tudo o que ouço são as mesmas frases, sempre, não importa o que eu faça ou conquiste.
Não importa que eu trabalhe, estude e ainda cuide do meu filho. Se eu perder a paciência no fim de semana porque quero dormir, sou preguiçosa. Não importa a pessoa que sou hoje; a pessoa que já fui um dia anula todas as outras possibilidades.
Eu só quero ser feliz, como todas as outras pessoas, e acho que mereço isso. Eu mereço créditos, mereço confiança, mereço que minha palavra seja ouvida e respeitada dentro desta família.
Eu amo meus pais, mas quero viver sozinha. Já não vinha suportando algumas coisas que estavam acontecendo e, agora, para completar, terei que dividir o mesmo espaço com uma cínica e falsa, que não tem um pingo de amor e consideração por ninguém? Não quero.
O problema é só um? Para onde eu vou?
Essa situação está me matando. Estou cansada.

Desafio - 5º Dia

(Bancando a modelo...huahuahuahua)

Café da Manhã

5 mini-pães de queijo
1 corpus sabor morango

Lanche da Manhã

1 copo de chá mate com adoçante

Almoço
1 saladão (alface, cenoura, pepino, tomate, milho e queijo branco) temperado com azite, vinagre e sal
1 filé de frango grelhado
1 lata de fanta zero açúcar
1 barra de cereal Nutry sabor cookies & cream

Lanche da Tarde

1 copo de coca-cola zero açúcar
7 cookies integrais light sabor coco

Jantar
300 ml. de leite desnatado batido com
3 colheres de sopa de shake Viver sabor chocolate

Depois do jantar, só Deus na minha vida! Comi um monte de porcarias que não agregaram nada à minha dieta, só calorias desnecessárias. Vergonha de mim, viu!

quinta-feira, 11 de março de 2010

Eu quero mais!

Eu não quero, não posso e não vou desistir do meu sonho! Há dois dias regularizei novamente minha alimentação, agora preciso reincorporar os exercícios físicos (que já não eram muitos) e aumentar a frequência semanal de prática.
Eu tenho um desafio para encarar, e, afinal, eu quero ou não quero chegar ao dia 17 de maio de 2010 com 66 quilos? É claro que sim!
Então, mãos à obra!

Quem quer, consegue.

Só você, filho

"Só você pra dar à minha vida a direção, o tom, a cor
Me fez voltar a ver a luz, estrela no deserto a me guiar
Farol no mar da incerteza (...)"
(Um dia, um adeus - Guilherme Arantes)

Desafio - 4º Dia

Café da Manhã
300 ml. de leite desnatado batido com

3 colheres de sopa de shake Vida sabor chocolate

Lanche da Manhã

1 maçã (aleluia, comi uma fruta! rs)

Almoço

Salada de alface e cenoura ralada, temperada com molho italiano
2 colheres de sopa de arroz integral
1 colher de sopa de risoto de camarão com palmito
1 fatia de peito de peru
1 bolinho de pão sírio com queijo branco e peito de peru

1 lata de coca-cola zero açúcar

Lanche da Tarde

4 biscoitos integrais da Nestlé
1 lata de chá verde
1 bombom Sonho de Valsa (porque eu também sou filha de Deus! rs)

Jantar
300 ml. de leite desnatado batido com

3 colheres de sopa de shake Vida sabor chocolate

Exercícios Físicos
15 sessões com 30 repetições cada de pular corda (ou seja, 450 "puladas" de corda rs)

Estou sentindo minha força de vontade voltando com tudo! Ontem teve festinha de aniversário de uma amiga aqui no trabalho, tinha quibe, coxinha, refrigerante e um bolo enorme e, pasmem, sequer sei qual é o gosto de cada um desses itens, pois nem cheguei perto da mesa! Ao saber que teria que marcar presença lá de qualquer jeito, afinal, é minha amiga de quase 4 anos, me enchi de chá verde, comi um bombom para saciar o desejo de doces, e fui para lá.
Estou orgulhosa de mim, e espero continuar assim!

Feliz Aniversário, Marlene!

A amizade consiste nesse dom divino de partilhar as coisas boas e ruins da vida, de confiar, de respeitar, de acreditar e, principalmente, de amar!
Que Deus te abençoe, sempre.

Parabéns, muitos anos de vida!


quarta-feira, 10 de março de 2010

Desafio - 3º Dia

Café da Manhã
1 pão de queijo
1 lata de chá verde

Almoço
Salada de alface, cenoura, tomate e pepino
1 panqueca de carne moída

1 lata de coca-cola zero açúcar

Lanche da Tarde

1 pacote (21g) de biscoito Nestlé cereal integral

Jantar
1 pão francês
1 bife grelhado
2 colheres de sopa de cenoura ralada
2 folhas de alface
1 taça de pudim de chocolate zero açúcar

Depois da tempestade vem a bonança?

Ultimamente, tenho me perguntado muito a respeito da veracidade deste ditado, talvez por conta de todas as turbulências pelas quais a minha vida esteja passando, há bastante tempo.
Ainda estou muito abalada pelos últimos acontecimentos. A garota que até ontem eu chamava de sobrinha (e com a qual espero nunca mais ter que falar nessa vida) foi "encontrada" ontem, e retornou para casa às 23h30. O motivo da volta? Engana-se quem pensou em arrependimento, remorso, saudades, medo de perder a avó que a criou, e que estava com a pressão 18x12 ao ser hospitalizada, e o pai que passou mal ontem a noite. Voltou por medo do "namorado" apanhar, pois ele sofreu ameaças.
Eu poderia contar aqui uma imensa história, mas talvez não faça sentido, porque o desfecho dela anula tudo de bom que pode ter existido algum dia. Mas vou resumir, para que compreendam a minha indignação.
Quando tinha 15 anos, meu irmão começou a namorar uma menina de 12 anos. Quando ele tinha 19 anos e ela, 15, aconteceu uma gravidez. Meu irmão foi embora de casa, deixando minha mãe arrasada, pois muitas dúvidas rondavam essa história.
Quando a ex-namorada do meu irmão estava grávida de 8 meses, eles foram pedir abrigo lá em casa, pois haviam sido colocados para fora pelo padrasto da menina.
Meus pais rapidamente aceitaram os dois, mesmo diante dos protestos meus e da minha irmã. Mas hoje eu compreendo o por quê de tudo isso: eles são pais, e o amor por um filho é incondicional.
O bebê, uma menina, nasceu no dia 01 de março de 1996, e logo veio para nossa casa. O primeiro banho foi dado pela minha mãe. O bercinho dela ficou instalado na sala, e todos nós ficávamos lá babando o tempo todo, pois ela era a coisa mais fofa desse mundo! Pequenininha, tinha um chorinho parecido com o de um gatinho...
Ela tinha, mais ou menos, 1 ano e 6 meses quando sua mãe abandonou a ela e meu irmão para viver um amor com outro homem. Meus pais trouxeram os dois de volta à nossa casa, e passaram a criá-la como se fosse filha deles.
Mais tarde, a mãe dela lutou por sua guarda, e ela teve que ir embora de nossa casa. Sofremos muito. Mas, aos 5 anos, ela voltou, para nunca mais ir embora. Coisas seríssimas estavam acontecendo com ela, e meus pais brigaram na justiça por sua guarda, pois queriam protegê-la de todos os males possíveis desse mundo.
Essa menina recebeu um lar, amor, carinho, compreensão, respeito, comida, condições boas de vida, enfim, tudo o que uma criança precisa para viver e ser feliz. Meus pais a amam como se fosse uma filha e, apesar dos problemas que ela começou a dar desde muito cedo, meus pais acreditaram nela e investiram. Em vão.
Essa mesma menina fugiu de casa dia 8 de março, sem sequer importar-se com os corações que estava partindo e com as consequências de seus atos. Foi trazida para casa praticamente à força, inventou histórias absurdas de que minha mãe a espanca e de que ela é maltratada em nosso lar. Planejou tudo fria e calculadamente, mentiu, enganou, foi falsa. Ao voltar, com o choro mais falso e cínico que eu já vi na minha vida, nos enfrentou por mais uma vez, nos disse coisas horríveis, está agindo como se estivesse com um demônio no corpo.
Eu amo minha família mais do que tudo nessa vida, ontem eu tive a certeza absoluta disso, e não admito que ninguém faça qualquer coisa que possa magoá-los ou machucá-los de qualquer forma.
Não é uma questão de ser radical, mas sim justo. Sei de tudo o que ela passou em mãos erradas, e sinto pena dela por isso. Mas agir dessa maneira com a família que a acolheu de braços e coração abertos não tem justificativa. Não tem perdão. Nada pode mudar tudo o que aconteceu ontem. Foi horrível. Foi traumático. Foi absurdo. Foi bizarro.
Acho que chegamos ao fim da linha. Não dá mais para conviver debaixo do mesmo teto que uma pessoa que não tem coração, que não pensa na própria família, que não tem regras, limites e nem respeito. Ontem foi a gota d'água de uma situação que vem se estendendo por anos e que agora tornou-se irreversível.
Meu amor virou ódio, porque não admito que meus pais sejam tratados dessa maneira. Eu jamais vou permitir! Quando fui dormir ontem, pedi perdão a Deus por um dia já tê-los magoado (embora eu não tenha chegado nem aos pés do que essa pessoa conseguiu) e disse a Ele o quanto os amo do fundo do meu coração.
Além disso, eu vou fazer o possíve para dar a melhor educação possível ao meu filho, para que ele não se perca pelo caminho. Jamais vou abandoná-lo, não importa o que aconteça. Quero dar todo o meu amor, mostrar que a mãe dele está ali, firme e forte, criando-o e ensinando valores que construirão seu caráter.
Mas nem tudo são espinhos. Hoje, ao abrir meu blog, deparei-me com um comentário da Sol (nascendoumaborboleta.blogspot.com) no meu post "Tristeza" e senti que eram aquelas palavras que eu precisava ler hoje. Senti a esperança voltando de mansinho ao meu coração, senti a força de jamais desistir, senti vontade de continuar a luta pela vida.
Obrigada, Sol, por me mostrar que a bonança sempre vem, mesmo que antes dela muitas tempestades seguidas aconteçam.

A vida segue.

Desafio - 2º Dia

Nem vou falar sobre meu cardápio do segundo dia, porque comi tanto ontem que até perdi o controle do que estava consumindo (ansiedade no seu estado bruto).
O dia de ontem foi um caos, um verdadeiro desafio, mas não como esse do qual estou participando, cheio de pessoas do bem e com objetivos saudáveis, um desafio de negatividade, de auto-controle e de frustração.
Na batalha de ontem, infelizmente, a comida me venceu mais uma vez. Estou decepcionada comigo mesma, já disse, mas preciso me reerguer e lutar. Eu estou com sorte ainda que esses meus deslizes não afetaram muito a balança: os ponteiros não abaixaram, mas também não subiram. Fiquei no zero a zero.
Dia 22/03 é a primeira pesagem do desafio, e eu quero ter eliminado, pelo menos, uns 2 quilos até lá, meta que é totalmente possível se eu me esforçar.
Eu juro que não vou desistir! Eu quero muito vencer, emagrecer e cuidar de mim!

segunda-feira, 8 de março de 2010

Tristeza

Sim, é isso que estou sentindo hoje, por isso, preciso fazer um desabafo.
Começou no último final de semana. Tenho sentido o pai do Rhian cada vez mais distante de mim, e por mais que isso seja inevitável, acho que ainda não estou preparada para essa "separação", pois sofro muito a cada ligação não atendida ou mensagem não respondida.
Sei que algo no meu organismo não está normal (eu acho que é a maldita TPM), por isso, tudo o que está acontecendo nos últimos dias está sendo maximizado pelo meu estresse.
Rhian está cada dia mais lindo e esperto, e faz meus dias muito felizes, mas confesso que nem sempre é fácil ser mãe sozinha, e o peso da responsabilidade, muitas vezes, pesa nas minhas costas, e eu fico muito desmotivada. Ele deu muito trabalho para dormir ontem, e tudo o que eu consigo pensar nestes momentos, é no pai dele levando uma vida tranquila, sem as partes difíceis da paternidade, enquanto eu seguro todo o "tranco" sozinha. Dói muito meu coração, e o cansaço pesa de um jeito que parece não ter fim. Os fins de semana, que antes me eram de descanso, hoje em dia são só uma extensão da semana. Na segunda-feira, já estou tão cansada quanto na sexta!
Para completar, minha família está passando por um problema muito sério hoje, que está afetando a todos nós: minha sobrinha (filha do meu irmão, mas que é criada pelos meus pais) fugiu de casa, e até o presente momento (17h05) não sabemos nada a respeito de seu paradeiro e estamos de mãos atadas, pois B.O somente após 24 horas do desaparecimento.
Estou muito revoltada, pois sei o quanto meus pais fizeram por essa ingrata, e o quanto estão sofrendo agora. Estou também preocupada, porque os quadros de pressão alta da minha mãe são todos emocionais, e é perigosíssimo que a pressão dela sube em momentos de extrema emoção como esse. Por fim, estou triste em ver que nem sempre os nossos esforços têm resultados positivos, pois meus pais fizeram de tudo por essa menina, tiraram-na de uma vida condenada à dor e à humilhação e a inseriram em uma família, mas ela não deu nenhum valor, em nenhum momento.
Estou triste por meus pais, que se casaram como manda o figurino, que estão juntos há 34 anos, que construíram uma família sólida e linda, com certeza na esperança de que ela fosse equilibrada e feliz, para passar por isso: criar uma filha de um filho que não tem juízo e se enrolou com uma mulher que tem menos juízo ainda; ter dentro de casa uma filha mãe solteira, e ainda ter que cuidar do neto para que a filha possa estudar e trabalhar.
Desde criança, quis que meus pais tivessem orgulho de mim, fiz muitas coisas na vida que eu nem queria, apenas para que eles me admirassem. Eu sonhava em ter uma vida independente, em ter um casamento bem-sucedido, uma casa e que pudesse criar meus filhos em um lar construído por mim. Mas não foi isso o que aconteceu, e hoje eu me sinto um empecilho na vida deles, sinto como se estivesse causando problemas, como se tivesse os decepcionado.
Sei que eles amam meu filho e me amam também, mas sei o quanto a carga tem sido pesada para eles também, pois além de mim e do Rhian, tem a fujona ingrata, a minha avó, o cachorro e meu irmão que, apesar de ter se casado novamente e ter sua casa, continua dando dor de cabeça.
Estou triste porque queria estar feliz, mas não encontro essa tal felicidade em lugar nenhum. Tudo o que vejo na minha vida são dificuldades, provações de todos os níveis, lágrimas, dor e incerteza. Os problemas vêm aos bolos e em sequência. Não há tempo para a tal da bonança que todos falam: quando um problema se resolve, o outro logo surge.
Estou frutrada, porque eu quero ter a minha própria vida, não quero mais ver e ouvir pessoas apontando o dedo na minha cara e dizendo que sou responsável por elas estarem anulando a própria vida, mas não consigo me reerguer.
A dor sempre volta, inevitavelmente. A mágoa, a raiva, a frustração nunca me abandonam, por mais que eu tente esquecer. Quero caminhar para frente, mas algo sempre me puxa para trás. Quero amar meu filho mais que tudo nessa vida e criá-lo com tudo de bom que ele merece, mas às vezes não me sinto preparada para a missão de mãe e me sinto muito sozinha nessa empreitada.
Eu sinto muita culpa por não poder estar sempre com meu filho, e quando estar, não ter a devida paciência com ele. Eu me culpo por não sentir toda a felicidade que ele merece e traz à minha vida por estar concentrada nos problemas e nas frustrações.
Espero que um dia, meus pais possam olhar para mim e sentir orgulho da pessoa grandiosa que me tornarei, espero poder ser essa pessoa algum dia, livre de todo o mal e confiando somente em mim para encontrar a felicidade, usufrui-la e plantá-la na vida do meu filho.
Espero que a dor e a agonia dos meus pais passe logo, que este dia acabe e que aquela maluca reapareça, mas que seja devolvida à mãe dela, para que leve a vida de liberdade dos seus sonhos e aprenda com a dor, já que pelo amor não foi possível ensiná-la.

Que o sol volte às nossas vidas!

Não quero esquecer meu objetivo

Eu já fui assim:

Agora, estou assim:

Preciso olhar bem para essas duas fotos, para sempre me lembrar de que não quero voltar a ser aquela gordinha infeliz, e que meu objetivo é maior ainda do que aquilo que eu já consegui.

Dez quilos eliminados já é resultado excelente, mas faltam 22 kg., por isso, preciso continuar firme no meu propósito!

Fotos do meu presente

Bem, eu já emagreci dez quilos, portanto, comprei meu segundo presente: um sapato. Não sei por que, mas desde que comecei a fazer dieta, só comprei roupas da cor bege e, pasmem, o sapato que me dei de presente quinta-feira também é bege...rsrsrsrsrsrsrs
Acho que eu fiquei tanto tempo só usando roupas escuras para disfarçar as banhas, que agora que deu uma reduzida na silhueta, quero me mostrar ao mundo, e como não sou muito chegada em branco, escolhi o bege!
Preciso muito voltar ao foco, está sendo bem difícil manter a linha! Hoje mesmo já comi um chocolate, pois se não fizesse isso, acho que ia me acabar de comer quando visse qualquer alimento na minha frente, principalmente os menos calóricos possíveis! Estou lutando muito, não quero ewstragar tudo agora, ainda faltam 22 kg. e hoje é o primeiro dia do Desafio QSP, e eu quero muito emagrecer 10 quilos até o dia 17/05 (data final do desafio), por isso não posso ficar me dando ao luxo de comer como uma louca!
Acho bom eu já começar a pensar no meu 3º presente, para ver se me motivo um pouco. Ah, e claro, eu quero sair da casa dos 70, não aguento mais esse peso todo que me acompanha há mais de 2 anos...

Olhem meu sapatinho, que lindo!


Desafio - 1º Dia

Café da Manhã
300 ml. de leite desnatado batido com
3 colheres de sopa de shake Viver sabor chocolate

Lanche da Manhã

1 fatia de melancia

Almoço

5 colheres de sopa de tabule
1 pão sírio médio
1 barra de ceral Nutry sabor cookies & cream

Lanche da Tarde
1 barra de cereal Nutry sabor cookies & cream
1 tablete (25g.) de Diamante Negro (precisava comer, senão ia me jogar em um monte de porcarias engordativas! Estou muito ansiosa hoje rs)

Jantar
2 fatias de pão de forma integral
1 fatia de quijo minas
2 fatias de blanquet de peru

2 colheres de sopa de cenoura ralada
1 copo de suco de morango light

1 taça de pudim de baunilha zero açúcar

Estava tudo indo super bem, resisti às tentações o dia inteiro, mas me acabei de comer quando cheguei em casa, deixei o nervosismo tomar conta da minha alimentação. Comi bife a parmegiana e pão francês depois do jantar, e confesso que não estava com um pingo de fome, foi por ansiedade mesmo. Fiquei muito decepcionada comigo mesma, por não ter conseguido controlar meus impulsos. Sei que a situação é muito crítica (a fuga da minha sobrinha mexeu com todos nós de maneira horrível, mas isso não é justificativa para comer feito uma louca!).
Sem comentários sobre o dia de hoje e minha postura vergonhosa. :/