Objetivo

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Respeite as diferenças



Junho de 2010 - 76,7 kg.


Março de 2009, 1 mês após ser mãe: 88,6 kg.

Dezembro de 2008, aos 7 meses de gestação: 92 kg. (meu maior peso até hoje)


Novembro de 2007 - cerca de 68 kg. e já me sentia gorda


Ao longo dos anos, eu mudei a cara, cortei o cabelo, engordei, aprendi a respeitar a minha imagem e me permitir tirar fotos (coisa que não fazia nem sob tortura quando era mais nova, devido aos complexos), mas não mudei a minha essência. Continuo sendo a mesma pessoa de quando pesava 60 kg., com os mesmos medos, os mesmos sonhos, os mesmos desejos. Acredito que o tempo tenha me transformado em uma pessoa melhor, mais madura e mais consciente da necessidade do amor-próprio, mas insisto que sou a mesma pessoa.
O que quero dizer com isso é que as pessoas deveriam respeitar e gostar das outras pessoas pelo que elas são, e não pelo que aparentam. Embora tenha engordado mais de 20 quilos nos últimos 5 anos, sou a mesma Nathalia, e mereço ser respeitada e amada, exatamente como quando era mais magra. A imagem não significa absolutamente nada, o que faz de nós grandes ou pequenas pessoas é o que trazemos por dentro. De nada adianta "ter forma e não ter conteúdo", como já diz o Chorão do Charlie Brown Jr.
Quero emagrecer, sim, mas é por mim e para mim, e não para agradar ninguém. Posso eliminar 50 quilos, mas a cara e os sentimentos continuarão os mesmos, por isso é necessário que acostumem-se com essa cara mesmo, é a única que tenho. E que me amem ou me odeiem exatamente pelo que sou.
O nome disso é respeito. Afinal, que gordinho nunca sofreu com o preconceito e as piadas de mau gosto das demais pessoas? Que gordinho nunca teve a autoestima destruída pela opinião superficial e pelos olhares de repulsa das pessoas que lhe cercam? Falo do assunto com conhecimento de causa, pois aconteceu comigo. Ensinaram-me que o mundo pertence a uma classe específica, que veste um manequim específico e tem medidas específicas, e que qualquer pessoa fora desses padrões, simplesmente não existe. Até hoje luto para me recuperar dessas crenças e para colocar em minha cabeça que, sim, absolutamente todas as pessoas nesse mundo tem seu valor próprio, e eu não estou fora dessa lista. Eu luto para acreditar que todas as pessoas merecem ser felizes, inclusive eu.
Estou escrevendo este post porque fico extremamente irritada com a imagem que a mídia coloca na cabeça das crianças, com a obsessão de emagrecer que é colocada em nossas cabeças e causa até distúrbios e problemas de saúde naqueles que não sabem a hora correta de parar. Estou escrevendo tudo isso apenas para dizer que todas as pessoas desse mundo merecem respeito, carinho e admiração, independente de serem gordas ou magras, novas ou velhas, bonitas ou feias. Cada um tem seu valor e seu encanto, e isso não deve ser ignorado.
Liberte-se dos estereótipos. Ame-se, respeite-se, cuide de si mesmo. Não se importe com a opinião dos outros, simplesmente porque as pessoas te julgam pelo que vêem ou imaginam a seu respeito, mas só você sabe quem, de fato, você é.
Eu amo cada uma das pessoas da minha vida exatamente como elas são, e é isso que espero delas com relação a mim.

*****

Amores, tô colocando a vida no lugar, vou eliminar meus 10 kg. até o casamento da minha prima e a pança vai voltar para dentro da calça! rs não vejo a hora de mandar esses quilos pro espaço!

Quero dividir com vocês a foto do meu filhote, ele cortou o cabelo hoje! Tá mais gato do que nunca (mãe é mãe, né! kkkkkkk)




6 comentários:

pattydedieta disse...

Oi amiga!!!

Muito lindo o seu bebe...e de cabelinho novo então, ficou mais gato, ahuahuahuahuhua.

E foram ótimas as suas palavras de hoje, eu acho que devemos respeitar as pessoas pelo o que elas são por dentro, a essencia da pessoa vale muito mais...e devemos estar de bem com a gente mesma, emagrecer pra nós, mudar o visual pra nós...tudo pra nós em primeiro lugar.

Beijos.

Camila Santiago disse...

que diferença nas fotos...continua firme em ... bjus

kryka disse...

Seu filho é um gato amiga.Que trabalhão que vai dar ...Adoro ler seus post,cada dia sinto que está melhor e mais curada da ferida.Beijos.

Anônimo disse...

Taia, como sempre, adoro seus posts pois vem de dentro!
Vc tem mais força que imagina!!!!
Concordo com cada palavra, nós somos independente da forma que temos!E merecemos respeito!!!!!
Seu filhote tá muito gato Taia!!!!
E com cabelinho de lado é muito cute cute!!!!
Bjocas (tbém quero eliminar uns 10kg!!!!)

Dany Aoki disse...

oi amiga, obrigada pelo apoio, não vou me torturar não.
O seu filho ficou um gato!
bjos.

Tatha, somente... disse...

Tá, primeiro...seu filho eh um gatinhoooooooooooooooooo, que lindo menina...hihihihi

Flor sabe que tirar foto eh a parte mais dificil, como eh complicado o medo de ver as fotos depois e ver nossa real situação, eh muito complicado, é triste ao mesmo tempo...mais se temos medo e vergonha, a culpa eh nossa...fazer o que? mudar mudar e mudar...né

Mil bjinhos flor :*