Objetivo

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Foto Deprimente


Olha, eu posso não estar uma tchutchuca (nossa, de onde desenterrei esse termo igualmente deprimente? rs), mas bem melhor do que eu estava nessa foto, isso com certeza eu sei que estou. Sabe, são essas fotos que me motivam a não desistir, porque a gordura parece que deforma a gente, ficamos com a feição completamente diferente do que ela realmente é.
Assustador.
Confesso que tem dias que penso em parar com essa "palhaçada" de emagrecer, assumir meu super corpo gordo, comer tudo o que gosto e ser feliz, me jogar de cabeça no movimento "Fat Pride", mas então eu paro e penso se é realmente isso que eu quero para a minha vida, se eu estou realmente disposta a continuar sendo alvo de comentários maldosos por causa da minha forma física, se quero realmente continuar sofrendo horrores para encontrar roupas que me sirvam, se estou realmente afim de continuar comprometendo a minha saúde e minha qualidade de vida por causa da comida (meus joelhos me matavam antes de eu emagrecer 11 quilos, tinha dias que eu mal conseguia levantar da cama), se quero mesmo continuar sendo escarava da comida, e me surpreendo ao ver que a resposta para todas essas perguntas é não.
Acho muito legal quem se ama e quem se aceita do jeitinho que é, inclusive sou leitora assídua de muitos desses sites e os recomendo (Gordinhas Lindas, Mulherão), mas a questão aqui é que eu não sou feliz gorda, e quero ser diferente. Não tenho absolutamente nada contra gordos, aliás, não tenho preconceito com nada nesse mundo, porque sempre achei que o mais importante nessa vida é a nossa essência, nosso conteúdo, não a embalagem. Sei que emagrecer não vai resolver os meus problemas, principalmente porque meu maior mal está dentro de mim, que é a minha falta de auto-aceitação, mas eu sei que essa conquista já vai fazer de mim uma pessoa melhor e me habilitar a várias outras mudanças na minha vida.
Muitas vezes, sinto que estou me auto-sabotando propositalmente, pois acho que tenho medo de emagrecer e nada mudar na minha vida e então eu ser obrigada a encarar e admitir que os problemas são muito maiores do que trinta quilos a mais na balança.
Emagrecer não é simplesmente uma questão de largar de ser preguiçoso e safado e se mexer, como muitos magros pensam e dizem por aí. Envolve questões muito mais íntimas, muito mais complicadas de resolver. O gordo não come muito simplesmente porque ele quer, ele come porque está na comida o seu refúgio, a "cura" temporária de seus problemas, seu prazer. Ninguém é gordo porque quer, isso eu tenho certeza. Emagrecer envolve muita força de vontade e trabalho árduo, e, às vezes, cansa fazer tudo isso por resultados que vem de maneira tão lenta e, muitas vezes, imperceptível.
Não estou, de modo algum, tentando justificar minhas "puladas fora" da dieta, apenas acho que antes de se julgar uma pessoa, é necessário analisar o que a faz agir daquela maneira. Só quem é gordo sabe o quanto a luta é difícil.

Mas eu sou persistente! É caindo e levantando, sempre. E recomeçando.

2 comentários:

Bailarina,Sapateadora,professora e coreógrafa! disse...

O importante mesmo é ser feliz!!!!
To contigo e não abro!!!
Beijos

Bailarina,Sapateadora,professora e coreógrafa! disse...

Que bom então querida!
Estou te seguindo aqui também!!
Beijos